Operação combate poluição sonora em bares e restaurantes do Recife

154
0
COMPARTILHAR

Uma operação realizada pela Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Recife (SMAS), na noite desta sexta-feira (20), vistoriou bares e restaurantes nos bairros de Afogados, Torrões e Várzea. Os estabelecimentos já tinham sido denunciados pela comunidade, principalmente por causar poluição sonora. Sete foram inspecionados e dois deles interditados. A ação, que se estendeu pela madrugada, contou com o apoio do 12º Batalhão da Polícia Militar, CTTU e Secretaria Executiva de Controle Urbano.

Localizado embaixo do pontilhão da estação de metrô de Afogados, o Bar do Matuto foi o primeiro alvo da operação. Quando a comitiva chegou, o estabelecimento estava funcionando, havia muitas pessoas e o som eletrônico estava alto. Como o proprietário do bar não possuía alvará para uso de som nem as licenças ambientais, os fiscais da SMAS interditaram o empreendimento. O dono ainda foi autuado pela Secon, devido à ocupação de espaço público com cadeiras e mesas.

“O saldo da operação foi positivo. Não houve conflito e os proprietários dos bares e restaurantes que visitamos entenderam os problemas causados pela poluição sonora. Muitos estabelecimentos não possuem tratamento acústico adequado e usam som para atrair clientes, incomodando a vizinhança”, disse o gerente de Controle Ambiental da SMAS, Ismael Cassimiro¸ ressaltando que operações semelhantes são realizadas todos os finais de semana.

Também foi interditado o Brega Dance, na Rua Onze de Fevereiro, nos Torrões. Ele não possuía licença ambiental e foi constatada a poluição sonora, no momento da investida. Afora os empreendimentos fechados, mais dois bares foram autuados pela fiscalização pelo uso de som alto e outros três receberam uma ação educativa. Todos os pontos visitados foram alvo de denúncias junto à polícia.

“Os estabelecimentos fechados também foram multados pelas irregularidades e terão 15 dias para recorrer da autuação. Já para reabrir as portas, precisarão se regularizar junto à secretaria, retirando a licença ambiental e o alvará para uso de som. Isso significa que precisarão fazer ajustes na estrutura dos bares”, frisou Cassimiro. Segundo ele, a multa por poluição sonora por chegar a R$ 5 mil.

SEM COMENTÁRIOS