Biblioteca Popular de Afogados faz exposição de frequentador autista

30
0
COMPARTILHAR

Nesta quinta (24), um jovem de 23 anos vai expor dez telas no local e fará roda de diálogo com alunos do 6º ano da rede municipal de ensino
O desenho entrou na vida dele como ferramenta das sessões de terapia. Ganhou gosto, força e enveredou para a pintura, onde se encontrou e há dois anos faz curso para aprender mais e se aperfeiçoar. A mãe frequentava a Biblioteca Popular de Afogados Jornalista Ronildo Maia Leite quando estudava para concurso. Após a requalificação do espaço, em abril de 2016, ela começou a levar o filho que tem transtorno do espectro autista para ter mais contato com os livros de arte, já que o rapaz estava empenhado entre tintas e telas. Com frequência assídua na biblioteca, Alberto Barbosa Lima Filho, de 23 anos, teve seu talento descoberto pelas bibliotecárias.

Na próxima quinta-feira (24), às 14h30, acontece a abertura da primeira exposição de Alberto, na própria biblioteca. Na sequência, o jovem se encontra com alunos do 6º ano da Escola Municipal Vila São Miguel para roda de diálogo.

“Ele começou a falar dos quadros que pintava. Ficamos curiosas e pedimos para ele trazer as telas. Conhecemos sua história e veio a ideia da exposição. Em seguida, pensamos em chamar jovens para conhecer um artista de perto, para que pudessem trocar ideias e se inspirar”, revelou Tereza Marinho, bibliotecária do espaço público municipal.

Ana Paula Peres Magalhães, mãe do “pintor aprendiz”, como ele se denomina, contou que sempre gostou de artes e mostrou seus livros favoritos para o filho, que também tomou gosto em conhecer os artistas. “Na biblioteca, mostrei para Alberto obras com o tema que ele gosta: paisagem. Aproveitei e apresentei também livros de pintores como Monet e Van Gogh, que passaram por situações parecidas com a dele”, destacou a incentivadora do artista.

REDE DE BIBLIOTECAS PELA PAZ

A Secretaria de Segurança Urbana do Recife trabalha, desde 2013, focada na prevenção, tendo como carro chefe as bibliotecas. Por isso, estes espaços públicos passaram a ser administrados pela pasta. O plano de estabelecer uma Rede de Bibliotecas pela Paz tem como meta resgatar a presença dos jovens, através de dinâmicas, debates e oficinas, para ampliar seus conhecimentos. Com a adesão, espera-se que os índices de violência sejam reduzidos e uma nova perspectiva de vida se estabeleça. Fazem parte da Rede de Bibliotecas pela Paz as bibliotecas Afrânio Godoy, do Compaz do Alto Santa Terezinha, a Jornalista Carlos Percol, do Compaz Escritor Ariano Suassuna, a Biblioteca Popular de Casa Amarela Jornalista Alcides Lopes, que foi requalificada e entregue em abril de 2016, e a Biblioteca Popular de Afogados Jornalista Ronildo Maia Leite, que também foi requalificada e entregue em abril de 2016.

Serviço

Pauta: Exposição de quadros e roda de diálogo com Alberto Barbosa Lima Filho
Data: Quinta, 24 de agosto de 2017
Hora: 14h30

SEM COMENTÁRIOS