Mídia e corrupção entram no debate da Bienal do Livro

23
0
COMPARTILHAR

O tradutor paranaense Caetano Galindo, que traçará uma visita guiada ao escritor irlandês James Joyce.
Nesta terça-feira (10), a corrupçÃo e a mídia brasileira entram nos debates da XI Bienal Internacional do Livro de Pernambuco. O tema será introduzido no auditório Circulo das Ideias na mesa “Corrupção, Mídias e Justiça” com o advogado, professor e pesquisador Melillo Dinis que lança do seu livro “Lei Anticorrupção Empresarial” em debate com o advogado Osvir Guimarães Thomaz com mediação do jornalista Ricardo Antunes, às 14h. E às 16h o designer e quadrinista carioca Carlos Ruas responsável pelo projeto “Um sábado qualquer” fala sobre seu trabalho e autografa sua obra num bate papo com o escritor pernambucano Sidney Nicéas. O tradutor paranaense e professor da Universidade Federal do Paraná Caetano Galindo faz uma masterclass, às 17h, sobre a iniciação à leitura do romance “Ulysses”, obra do irlandês James Joyce, com base no seu último trabalho “Sim, Eu Digo Sim — Uma Visita ao Ulysses de James Joyce”, finalista do Prêmio Rio de Literatura, categoria Ensaio, 2017. E às 19h o comunicador da maioria, o radialista Geraldo Freire realiza o lançamento da biografia “O QUE EU DISSE E O QUE ME DISSERAM: A improvável vida de Geraldo Freire” com o co-autor Eugenio Jerônimo.

Dentro da agenda deste dias, teremos diversas palestras, quis, oficinas e palestras no auditório Fundaj/MEC como a de “Cinema Acessível” com Ana Farache, coordenadora do Cinema da Fundação/Museu, às 18h. E ainda haverá workshop (que se encerra na quarta) com o tema “Uma Experiência Autoral” com os idealizadores do projeto em quadrinhos “A Noiva”, Thony Silas e Eron Villar, que ensinam vivência teórica-prática do processo de elaboração de uma história em quadrinhos, abordando todas as etapas de elaboração, desde a ideia inicial para concepção de roteiro até as ilustrações e finalização das páginas desenhadas. Muitas ações movimentam a Plataforma de Lançamento, a Bienalzinha e o palco Além das Letras que recebe inclusive às 19h Leda Dias apresentação do show “Canções Brasileiras e Simplesmente”.

Na quarta (dia 11), mesa redonda às 10h com os escritores Dielson Vilela (autor do livro “O Meu Melhor Amigo é Gay”); Raimundo de Moraes (autor de literatura homoerótica) e Jayme Benvenuto (autor de contos LGB) com o tema “Empoderamento e Protagonismo LGBT na Literatura Brasileira Contemporânea” com abertura de Maria do Céu (Chefe Regional NE do Ministério da Cultura) /Participantes; às 17h, conferência com Vladimir Safatle, livre-docente do departamento de filosofia da USP, discutirá “O fim da democracia representativa e a emergência da soberania popular”: às 19h teremos painel intitulado “Porto Social e a literatura nos projetos do terceiro setor” com a Jornalista Isly Viana, Fábio Silva (presidente do Porto Social), Marcopolo e Ana Carla Marinho do Empreendedor Social e o escritor Sidney Nicéas; e a agenda termina com o Plano Estadual do Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas (PELLLB) com a participação de Cida Fernandez do Centro de Cultura Luiz Freire e Fórum Pernambucano em Defesa das Bibliotecas Livro, Leitura e Literatura – FPDBLLL com a dramaturga Carla Denise, Mariane Bigio da Secult-PE e Simone Santiago do SEE-PE. Nas demais plataformas, diversos debates discussões sobre inclusão, visibilidades e literaturas com diversas vertentes. Entretanto, termos ampla programação da Bienalzinha e do palco Além das Letras com atividades durante todo o dia como oficinas, mediação de leituras, brincadeiras literárias, contação de histórias, apresentações artísticas, culturais e musicais com alguns destaques como Severino dos 8 Baixos, às 20h, com o Movimento Respeitem os 8 baixos.

SEM COMENTÁRIOS

COMENTE ESTA NOTÍCIA