Prefeitura do Cabo estimula mulher a controlar número de filhos

46
0
COMPARTILHAR

Município intensifica serviço de planejamento familiar na Rede de Saúde oferecendo todos os métodoscontraceptivos
A Secretaria de Saúde do Cabo de Santo Agostinho está intensificando as atividades do Programa de Planejamento Familiar. Segundo a coordenadora da Política da Saúde da Mulher, Giselle Paiva, o município oferece diversos métodos, que têm como finalidade contribuir para a saúde da mulher e da criança, permitindo às mulheres escolher o tempo ideal para ter um filho.

Planejamento Familiar é um conjunto de ações que auxiliam as mulheres a planejar a chegada dos filhos, e também a prevenir gravidez indesejada. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, mais de 120 milhões de mulheres em todo mundo desejam evitar a gravidez. Por isso, a Lei do Planejamento Familiar foi desenvolvida com o intuito de orientar e conscientizar a respeito da gravidez e da instituição familiar.

O planejamento familiar também previne as futuras despesas que terão com os filhos. É por esta razão que muitos casais têm adiado a chegada do primeiro filho, preferem ter melhores condições de criá-los. Nos anos 70 os casais tinham em média 5 filhos, hoje essa média caiu para 2.

COMO PLANEJAR

Para participar dos serviços do Planejamento Familiar, a mulher deve procurar a unidade de saúde mais próximo de sua casa e dependendo do método escolhido serão encaminhadas para os centros de Referência de Saúde da Mulher do município.

Métodos contraceptivos oferecidos na Rede Municipal de Saúde:

Preservativos (camisinha feminina e masculina) – É um contraceptivo de barreira que deve ser usado durante a relação sexual com o intuito de reduzir o risco de contrair DSTs e também de gravidez. Não há contraindicação neste método.

Pílula – O anticoncepcional é um comprimido que tem em sua base a utilização de uma combinação de hormônio, geralmente estrogênio e progesterona sintéticos, que inibe a ovulação da mulher, impossibilitando a gravidez. As contraindicações são para pacientes com trombose, embolia pulmonar, Lúpus Eritematoso Sistêmico, diabetes e hipertensão.

DIU – É uma sigla para “dispositivo intrauterino”, um método contraceptivo reversível. O DIU é um artefato de polietileno, com ou sem adição de substâncias metálicas ou hormonais, que exerce efeito anticonceptivo quando colocado dentro da cavidade uterina de uma mulher. O método impede que o espermatozoide encontre o óvulo, portanto o DIU não deixa a gravidez ocorrer e não provoca aborto.

Laqueadura – Método de esterilização feminina, caracterizado pelo corte das tubas uterinas, que fazem o caminho dos ovários até o útero. Assim, as tubas uterinas impedem a passagem do óvulo e os espermatozoides não o encontram, evitando a fecundação, ou seja, impossibilitando a gravidez da mulher. De acordo com as normas estabelecidas pelo Ministério da Saúde, não poderá realizar a laqueadura, exceto por indicação médica, menores de 25 anos e no momento do parto, sendo assim, a cirurgia só poderá ser realizada 45 dias depois do parto.

SEM COMENTÁRIOS