Laboratório desiste de fazer vacina contra o zika vírus

56
0
COMPARTILHAR

O vírus está ligado a graves anomalias cerebrais em recém-nascidos, como a microcefalia (Foto: Mario Tama/Getty Images)
A empresa francesa Sanofi Pasteur desistiu de desenvolver uma vacina contra o vírus da zika após a Biomedical Advanced Research and Development Authority (BARDA), órgão do Ministério da Saúde dos Estados Unidos, decidiu diminuir o financiamento por causa da queda da epidemia. A empresa comunicou a decisão nesta quinta-feira, 7.

No ano passado, o órgão tinha se comprometido a fornecer US$ 43,2 milhões para financiar a vacina, mas, no mês passado, decidiu reduzir drasticamente seu acordo com a divisão de vacinas da Sanofi Pasteur, segundo declaração publicada pela própria empresa.

A elaboração da vacina iria levar mais tempo e custar mais do que era previsto inicialmente. Na nota, a empresa declarou que “respeita a decisão da Barda de reajustar seus recursos limitados às suas prioridades” em um contexto de “forte redução do número de novos casos de zika nos Estados Unidos e no mundo em 2017”.

m novembro, a Organização Mundial da Saúde (OMS) retirou do vírus da zika o status de “emergência de saúde pública de alcance mundial”. O vírus está ligado a graves anomalias cerebrais em recém-nascidos e afeta todos os países da América Latina.

Dezenas de vacinas contra o vírus estão sendo estudadas, mas nenhuma estará disponível para mulheres férteis até 2020, de acordo com a OMS.

Do Estadão/AFP

SEM COMENTÁRIOS