Paulo Câmara assume candidatura à reeleição e põe o bloco na rua

90
0
COMPARTILHAR

Paulo Câmara leva o “Pernambuco em Ação” a Santa Cruz do Capibaribe, no agreste setentrional: em campanha para 2018
O governador Paulo Câmara (PSB), que tratava a sua sucessão como assunto para 2018, decidiu assumir sua candidatura à reeleição no próximo ano e colocou seu bloco na rua. A forma encontrada pelo chefe do Executivo foi perenizar, por meio da internet, o Programa Pernambuco em Ação, por meio do qual ele faz uma pouco disfarçada campanha política a título de prestação de contas das ações de seu governo.

Dividindo o Estado em 12 regiões – sertões do Araripe, Central, do Pajeú, do São Francisco, de Itaparica e do Moxotó; agrestes Setentrional, Central e Meridional, e as zonas da mata Norte e Sul do Estado, o portal que o governador colocou no ar – http://www.pernambucoemacao.com.br/ – só não contempla, ainda, a Região Metropolitana do Recife.

No portal o governador faz uma propaganda escancarada do seu governo, dirigida individualmente a cada município de cada uma das regiões. As apresentações são subsidiadas por uma visita feita antes ou depois a cada município ou região, com enorme caravana política, quando aproveita para inaugurar obras, assinar contratos e fazer grandes comícios fora de hora, ao arrepio da legislação eleitoral.

As obras inauguradas pelo governador nessas viagens de “prestação de contas” são sempre de grande impacto, pois contempla as áreas de educação, não raro com entrega de novas escolas técnicas, de saúde, com inauguração ou modernização de hospitais, e de infraestrutura, com obras de abastecimento d’água ou pavimentação de rodovias.

No papel da hiena seguindo os passos do leão, quando aguarda o rei das selvas se saciar de uma presa para só depois se alimentar com as sobras, a Oposição assiste atônita aos movimentos do governador alimentada apenas pela única pesquisa de opinião sobre o quadro eleitoral do próximo ano na qual Paulo Câmara aparece com minguados 6% das intenções de voto do eleitorado.

Ocorre que pesquisa é apenas uma fotografia de um determinado momento e tem uma dinâmica própria que pode mudar os números ao sabor de novos acontecimentos. No caso específico dessa pesquisa, a fotografia retratava a situação dos postulantes à cadeira de Paulo Câmara no final de março, quando o governador era massacrado por péssimas notícias na área de segurança e mal tinha começado a fazer suas viagens pelo interior do Estado.

De lá para cá a área de segurança, que é o calcanhar de Aquiles do seu governo, ainda que de forma modesta, começou a apresentar os primeiros resultados das mudanças e dos investimentos feitos por Paulo Câmara, aí incluído um novo orçamento com mais R$ 290 milhões para serem gastos até o fim de 2018. Ainda ontem, a Polícia anunciou uma redução de 51% no número de assaltos a ônibus no Grande Recife nos primeiros quatro meses do ano e a prisão de 63 pessoas envolvidas na prática desses crimes.

Sem um projeto claro para a sucessão estadual, a Oposição enfrenta ainda os movimentos por enquanto solo dos ministros Mendonça Neto (DEM) e Bruno Araújo (PSDB), que se valem de ações de seus respectivos ministérios, Educação e Cidades, para uma presença mais pragmática, liberando recursos ou inaugurando obras federais fazendo contra-ponto às ações de Paulo Câmara.

Se não atentar para a evolução desses números e limitar suas ações a seguir as caravanas do governador, passando no dia seguinte nos municípios e regiões para conferir o rastro que Paulo Câmara deixou em sua passagem, nem acompanhar os movimentos de Mendonça Filho e Bruno Araújo, a Oposição corre o risco de nem sobras ter para alimentar suas esperanças para 2018, amargando a desconfortável posição do marisco, entre o mar e o rochedo.

Geraldo Seabra Filho
Editor do Correio do Grande Recife
[email protected]

COMPARTILHAR
Artigo anteriorDa cadeia, Dirceu defende guinada do PT à esquerda em 2018
Próximo artigoFPS faz campanha para incentivar uso racional de remédios

SEM COMENTÁRIOS