Santa Cruz vira para cima do Ceará e volta ao G4 na Série B

78
0
COMPARTILHAR

O Tricolor venceu o Ceará na Arena Castelão, pelo placar de 3×1, e foi difícil escolher o melhor em campo. (Foto: LC Moreira/Estadão/Santa
Cruz)
No primeiro desafio sem Vinícius Eutrópio, demitido após derrota para o Londrina na última rodada, o Santa Cruz conseguiu uma importante vitória pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro da Série B na noite dessa terça-feira. Fora de casa, no Castelão, em Fortaleza, os pernambucanos bateram o Ceará, de virada, por 3 a 1. Com a vitória, o Santinha retomou seu posto no G4, justamente como último integrante do grupo, com 12 pontos. Já o Vovô caiu para a oitava colocação e permanece com 10 pontos conquistados.

O jogo começou quente, com o Ceará tomando a iniciativa. Logo aos dois minutos, o veterano Magno Alves recebeu a bola dentro da área, deu uma linda finta de corpo na marcação e bateu colocado. A bola raspou o ângulo e saiu pela linha de fundo, mas levantou a torcida do Vovô.

A pressão inicial dos donos da casa acuou o Santinha, que demorou a se encontrar em campo, enquanto o Ceará continuava martelando. Aos 14, de novo Magno Alves esteve perto de abrir o placar. Dessa vez Julio Cesar precisou trabalhar para evitar o gol dos donos da casa.

De tanto insistir, o gol parecia questão de tempo. E ele veio aos 27, após cobrança de escanteio pela esquerda. Romário colocou na área, Valdo desviou e Pedro Ken mandou para o fundo do gol.

Dessa forma, o Ceará foi para o intervalo com a vantagem no marcador e sob aplausos da torcida. O problema é que o que ninguém esperava aconteceu. O Santa Cruz voltou com uma postura totalmente diferente para a etapa final e mudou a história do confronto.

Aos cinco minutos o recado foi dado com Bruno Paulo, que arriscou chute e quase contou com a colaboração do goleiro Éverson para empatar o jogo. Aos 16, no entanto, o goleiro nada pôde fazer. André Luís deixou Léo Lima cara a cara com Éverson. O atacante teve frieza e igualou o jogo com um leve toque por cobertura.

O jogo, então, acabou sendo praticamente definido em dois lances. Primeiro, aos 23, o Ceará foi ao ataque e Roberto acabou carimbando o travessão. E aí a velha máxima voltou a ser usada no futebol: quem não faz, toma. Dois minutos depois, o Santinha respondeu, mas não perdoou. Bruno Paulo acertou o ângulo e virou a partida.

A virada abateu o time do Ceará e calou o Castelão. O Tricolor ainda cresceu, se encorajou e não se conteve, continuou em cima, aproveitando os espaços dados pela equipe de Givanildo Oliveira. E foi assim, de certa forma até sem muita dificuldade, que o Santa marcou o terceiro com Ricardo Bueno e liquidou a fatura.

Nos minutos finais o Ceará pouco fez, apesar da entrega de seus jogadores em campo, e o Santinha soube administrar sua vantagem na casa do adversário. Aos 46, Rafael Pereira ainda quase marcou contra e por pouco não transformou a derrota em goleada.

Na próxima rodada, o Ceará jogará de novo em casa, mas dessa vez no estádio Presidente Vargas, diante do Luverdense, sexta, às 20h30. Já o Santa Cruz terá a dura missão de receber o Internacional no Arruda, às 16h30 do sábado.

FICHA TÉCNICA

CEARÁ 1 x 3 SANTA CRUZ

Local: Arena Castelão, em Fortaleza (CE)
Data: 13 de junho de 2017, terça-feira
Horário: 21h30 (Brasília)
Árbitro: Wanderson Alves de Sousa (MG)
Assistentes: Sidmar dos Santos Meurer (MG) e Felipe Alan Costa de Oliveira (MG)
Cartões amarelos: CEARÁ: Raul. SANTA CRUZ: Elicarlos, Bruno Paulo.
Público: 8.839 (pagantes) / 9.539 (total)
Renda: R$ 75.392,00

GOLS:
CEARÁ: Pedro Ken, aos 27 minutos do 1T.
SANTA CRUZ: Léo Lima, aos 16, Bruno Paulo, aos 25, e Ricardo Bueno, aos 35 minutos do 2T.

CEARÁ: Éverson; Tiago Cametá, Rafael Pereira, Valdo e Romário; Raul, Richardson (Felipe Menezes), Pedro Ken (Pio) e Rafael Carioca (Arthur); Roberto e Magno Alves.
Técnico: Givanildo Oliveira

SANTA CRUZ: Julio Cesar; Nininho, Jaime, Eduardo Brito e Roberto; Elicarlos, Gino (Thiago Primão) e Léo Lima (Augusto); André Luís, Bruno Paulo (Wellington Cézar) e Ricardo Bueno.
Técnico: Adriano Teixeira

Da Gazeta Press

SEM COMENTÁRIOS