Espetáculos para todas as idades animam o final de semana

169
0
COMPARTILHAR

Programação conta também com mesa de debates e lançamentos (Foto: Eduardo Petrini)
Programação conta também com mesa de debates e lançamentos (Foto: Eduardo Petrini)
Este é o último final de semana para conferir a programação do 18º Festival Recife do Teatro Nacional, e o que não faltam são opções para todas as idades. Sete espetáculos prometem encantar adultos e crianças no sábado (26) e no domingo (27). Nessa reta final de festival se apresentam as companhias: Teatro Popular de Ilhéus, da Bahia, a Borbolina Produções e a Cia. do Latão, ambas de Sâo Paulo, o Grupo Bagaceira, do Ceará, além da Cia. Fiandeiros de Teatro e o Kamio Kaze, ambos de Pernambuco. Os ingressos são vendidos na bilheteria dos teatros ao preço de R$ 10,00 (inteira) e R$ 5,00 (meia). A realização do 18º FRTN é da Prefeitura do Recife, através da Secretaria de Cultura e a Fundação de Cultura Cidade do Recife.

No sábado (26) tem a produção infantil O menino e a cerejeira, no Teatro Barreto Junior, e no Teatro Luiz Mendonça tem a comédia Medida por Medida. No domingo (27), mais duas produções para a criançada: Vento forte para água e sabão, no Teatro Santa Isabel, e Sebastiana e Severina, no Barreto Junior. O espetáculo Fishman é encenado no Teatro Apolo, e Teodorico Majestade, no Luiz Mendonça. A montagem O Pão e a Pedra, da Cia. do Latão, de São Paulo, sobe novamente ao palco do Hermilo Borba Filho no sábado e no domingo, sempre às 19h.

Um espetáculo para toda a família, O menino e a cerejeira, da Borbolina Produções, de São Paulo, é uma adaptação do livro homônimo de Daisaku Ikeda, escritor e humanista japonês. A peça conta a história de um menino japonês que perde o pai na Segunda Guerra Mundial e aprende a fazer uma importante escolha: ser feliz, mesmo em meio às dificuldades que enfrenta. Graças à bela amizade entre ele e um senhor que cuida da única árvore cerejeira sobrevivente aos bombardeios, sua perseverança inspira a vida de todos da aldeia a florescer, junto com a bela florada da cerejeira. O espetáculo estreou em julho deste ano e vem encantando crianças e adultos em todo país, com uma bela lição de esperança e humanismo. É a primeira vez que a obra ganha uma adaptação para o teatro.

A comédia Medida por Medida, encenada pelo Grupo de Teatro Popular de Ilhéus, Bahia, promete arrancar risadas ao abordar temas como o poder, a corrupção e os dilemas éticos e morais da vida pública e privada, de forma bem humorada. A peça é inspirada na obra homônima de William Shakespeare, tendo como enredo, desdobramentos das decisões de Ângelo, juiz implacável que entra no lugar do Duque de Viena, cumprindo à risca as leis contra fornicação. A direção é de Romualdo Lisboa, com tradução de Fernando Yamamoto.

Vento forte para água e sabão, da Cia Fiandeiros, de Pernambuco, sobe ao palco do Santa Isabel para contar a história de amizade entre uma bolha de sabão chamada Bolonhesa e Arlindo, uma rajada de vento. Sabendo dos riscos que corre por ser uma bolha, Bolonhesa já havia decidido ficar parada no seu cantinho, com medo de se arriscar a conhecer o mundo. Até se encontrar com Arlindo que, com muita diversão e cumplicidade, ajuda a bolhinha a viver uma divertida aventura, descobrindo as coisas lindas espalhadas pelo mundo e dando sentido a sua essência.

Outra produção infantil que se apresenta neste fim de semana, Sebastiana e Severina, do diretor pernambucano Cláudio Lira, aborda a amizade como tema central, a partir dos desencontros de duas rendeiras solteironas que buscam a conquista do príncipe encantado, simbolizado pela chegada de um forasteiro. As duas moças se dedicam a cativar o visitante e recorrem a tudo a seu alcance: cantam canções, fazem rendas e invocam os poderes mágicos da feiticeira Dona Zefinha. Máscaras e bonecos entram em cena como elementos cênicos para reforçar o caráter de jogo e de brincadeira das duas personagens.

Em Fishman, o mais recente espetáculo do grupo cearense Bagaceira, dois homens estão em um pequeno bote sobre as águas de um lago, frente a frente, sem saber o que dizer, sem conseguir fisgar qualquer assunto, qualquer coisa que valha a pena ser dita entre dois seres humanos. O personagem Fishman não se deixa pescar por um único tema ou por uma compreensão específica de mundo. O espetáculo abraça a complexidade e reconhece que tudo está em permanente interação, em um fluxo que vai além de qualquer conceito, mas que pode ser experimentado de corpo inteiro, momento a momento.

A comédia Teodorico Majestade, as últimas horas de um prefeito, também do grupo Teatro Popular de Ilhéus, mostra um jogo feito por muitos “homens públicos” através de conchavos e falcatruas praticados em uma cidade fictícia. Com um diálogo leve e bem humorado sobre responsabilidades e cidadania, e texto escrito em literatura de Cordel com música executada ao vivo, o espetáculo é um convite à cultura popular.

Programação Formativa

No sábado (26) a Mesa de debates: Pesquisa de grupo/Investimentos e Resultados, com os palestrantes Sérgio Carvalho, Luiz Reis e Rudimar Constâncio. Eles serão mediados por Romildo Moreira. A atividade começa às 9h30, no Centro Apolo Hermilo.

Programação Extra

Com entrada franca, o público está convidado a conferir no sábado (26), lançamentos de livros, resistas e o projeto Teatro tem Programa!, com Paulo Vieira, Pedro Vilela e Leidson Ferraz, às 15h, no Centro Apolo Hermilo.

SEM COMENTÁRIOS