PSDB lança cabeça de ponte em PE de olho nas eleições de 2018

108
0
COMPARTILHAR

O ministro Bruno Araújo com as lideranças tucanas: a prefeita de Caruaru, Raquel Lyra, à direita, e os deputados Betinho Gomes e Terezinha Nunes: recursos do Ministério das Cidades para fortalecer o PSDB em Pernambuco
Procurando demonstrar indiferença com a crise por que passa o governo do presidente Michel Temer, cujo ministério integra com outros três companheiros do PSDB, Bruno Araújo aproveita o tempo que não sabe que vai durar no posto de ministro das Cidades para fincar uma cabeça de ponte em Pernambuco, com vistas às eleições do próximo ano, quando pretende a indicação do seu partido para concorrer à cadeira hoje ocupada pelo governador Paulo Câmara (PSB).

Como se sabe, cabeça de ponte é um termo de terminologia militar referente a uma posição provisória ocupada por uma força militar em território inimigo, do outro lado de um rio ou do mar, tendo em vista um posterior avanço ou desembarque. É o caso de Bruno Araújo. O ministro procura marcar posição no território dominado pelo PSB, preparando um desembarque dele e de um PSDB mais forte no pleito de 2018, quando pretende ampliar sua representação no Estado.

Mal posicionado nas pesquisas de indicação de voto para o cargo de governador, Bruno Araújo tem usado com eficiência o lugar na vitrine que o Ministério das Cidades lhe coloca à disposição com a multiplicidade de programas, projetos e investimentos voltados par aos municípios brasileiros, que pegam carona no transporte urbano e a bordo de trens, metrôs e monotrilhos o conduz a obras de saneamento e às unidades do Minha Casa, Minha Vida.

Na última sexta-feira (9), Bruno Araújo deu mais um exemplo dessa sua movimentação. Ele não faz voo solo e procura sempre estar em companhia de prefeitos e parlamentares do PSDB no Estado, como fez em Caruaru onde foi anunciar a liberação de R$ 335 milhões para sanear 13 municípios de Pernambuco, escolhidas com muito cuidado para não privilegiar seu partido, mas com a participação ostensiva dos tucanos na solenidade, cuja mesa dividiu com a prefeita Raquel Lyra, o deputado federal Betinho Gomes e a deputada estadual Terezinha Nunes.

Bruno Araújo não é nenhuma unanimidade no PSDB de Pernambuco e companheiros tucanos, como o deputado federal Daniel Coelho, já tentaram catapultá-lo do cargo de ministro das Cidades pregando o desembarque do governo do presidente Temer. Mas ele tem usado com maestria os benefícios que traz para o Estado para justificar sua presença no governo que parece ter escapado da corda bamba com a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que manteve Temer no cargo ao rejeitar a cassação da chapa em que foi eleito com a ex-presidenta Dilma Rousseff.

Assim, como Temer, Bruno Araújo ganhou sobrevida controlando vultosos recursos federais que pode destacar para os municípios de Pernambuco, como tem feito desde que assumiu o Ministério, no ano passado. Além do anúncio dos recursos para obras de saneamento em 13 municípios que fez na semana passada, nesse período Bruno Araújo autorizou o reinício das obras de 576 unidades habitacionais dos Residenciais Dona Lindu I e II na Granja Luciana, antigo Engenho Roncari, no município de São Lourenço da Mata, na Região Metropolitana do Recife, um investimento de R$ 36 milhões, beneficiando mais de duas mil pessoas com os residenciais.

Durante reunião com prefeitos de cidades atingidas pelas chuvas em maio, realizada na sede do Ministério das Cidades, em Pernambuco, na Ilha do Leite, no Recife, ele liberou R$ 226 milhões em investimentos para o Estado. São R$ 201 milhões para a construção de 2697 unidades habitacionais do Programa Minha Casa, Minha Vida e R$ 25 milhões para o Cartão Reforma, que terá atendimento prioritário em municípios atingidos. Dessas, 468 unidades em Barreiros serão destinadas para vítimas das chuvas.

Assim, tijolo com tijolo em cada unidade do Minha Casa, Minha Vida, com as obras de saneamento e outras de menor visibilidade no setor de transporte público, o ministro Bruno Araújo vai construindo para o PSDB uma opção às eleições para o governo do Estado no próximo ano. Dependendo de quanto durar sua permanência no governo, a distribuição de benesses do Ministério das Cidades aos municípios de Pernambuco podem ser ampliadas e levar junto suas chances na disputa do governo estadual, como também de aumentar a força dos tucanos em Pernambuco com a conquista de novas cadeiras na Assembleia Legislativa e na Câmara dos Deputados.

Geraldo Seabra Filho
Editor do Correio do Grande Recife
[email protected]

SEM COMENTÁRIOS