Caminhada em Boa Viagem orienta sobre doação de sangue

74
0
COMPARTILHAR

O grupo de caminhada e corrida +1K, do Hapvida, se reuniu na manhã de hoje (10) para conscientizar sobre a doação de sangue
Centenas de pessoas do grupo de caminhada e corrida +1K se reuniram no Parque Dona Lindu, em Boa Viagem, neste sábado (10), para um treino especial que também debateu a conscientização para a doação de sangue. O evento teve início às 6h, com aquecimento ao som de músicas juninas com um trio pé-de-serra ao vivo. Também houve aula de ritmos, pilates e aferição de gordura. Paralelamente, um grupo com alunos do projeto foi ao Hemope fazer doação, em um ônibus fretado pelo Hapvida.

Marli Maria da Silva, de 47 anos, foi uma dessas voluntárias. Ela faz doação há cerca de dez anos e conta que se motivou ao ver notícias sobre a falta de doadores nos bancos de sangue do Recife. “Já que ninguém ia, eu decidi ir. Descobri que meu sangue pode salvar vidas”, explica. Ela afirma também que sentiu medo na primeira doação, mas que isso foi logo superado. “Pensei que iria doer, mas não houve nada. Hoje sinto a necessidade de doar a cada quatro meses”, complementa.

Geysa Tavares, de 39 anos, e seu marido, Márcio Paulo, de 40, também fazem doação de sangue constantemente. Ele, há 20 anos, e ela, há cerca de 5 anos. “Comecei a doar ao perceber que há muitas pessoas precisando, além disso, não vai me fazer falta”, afirma Márcio. “Eu sempre quis doar, mas sempre fui muito magra e não tinha o peso exigido. Quando completei 50 quilos, foi a primeira coisa que fiz”, conta Geysa, que ressalta: “É algo que o meu organismo vai repor naturalmente. Estou fazendo minha parte como cidadã”.

Para doar sangue, é necessário estar bem de saúde, ter entre 16 e 69 anos, no mínimo 50kg, estar descansado e alimentado. No mais, se for menor de idade, deve estar acompanhado dos pais ou apresentar o formulário de autorização.

SEM COMENTÁRIOS