Estudo relaciona colesterol alto a disfunção erétil e câncer de próstata

63
0
COMPARTILHAR

Atenção homens: os altos níveis da gordura estão relacionados à disfunção erétil e câncer de próstata
Colesterol alto, como se sabe, é um dos vilões da saúde. A concentração exagerada da gordura presente nas células é a responsável pela maioria dos casos de doenças cardiovasculares. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o colesterol alto mata mais de 4 milhões de pessoas ao ano no mundo. O que muitos não sabem é que o quadro também está relacionado a outros problemas que afetam a saúde masculina, como disfunção erétil e câncer de próstata.

Segundo o andrologista Filipe Tenório, da Clínica Andros Recife, o colesterol alto favorece o aparecimento da disfunção erétil porque ele diminui a capacidade de circulação sanguínea nas artérias. “A ereção acontece quando a primeira camada do vaso sanguíneo libera substâncias que dilatam os vasos permitindo a passagem de sangue nos corpos cavernosos. Quando há obstrução nos vasos causada pelo acúmulo de gordura, eles não dilatam o suficiente e o sangue acaba não chegando ao pênis”, explica o médico.

Os médicos Filipe Tenório e Guilherme Maia: colesterol alto como causa de disfunção erétil e câncer de próstata. (Foto: Gustavo Glória)
Isso foi comprovado em um estudo realizado pelo American College of Cardiology. A pesquisa entrevistou homens com elevados níveis de colesterol antes e depois de passarem por tratamento médico para reduzir essas taxas. O questionário continha perguntas sobre ereção e desempenho sexual com pontuação equivalentes de 1 a 5. Do início ao final do tratamento, houve um aumento de 24% na qualidade das ereções.

Outra doença que é agravada pelo colesterol alto é o câncer de próstata. Uma pesquisa publicada na revista “The Journal of Clinical Investigation” revelou que o nível elevado da gordura contribui para o desenvolvimento do tumor devido a uma alteração química das células tumorais. “No estudo, os pesquisadores perceberam que o colesterol acumulou-se nas membranas externas das células desencadeando o desenvolvimento do câncer e impedindo a autodestruição das células”, afirma o urologista Guilherme Maia, do Hospital Santa Joana Recife.

Cientistas do Instituto de Pesquisas Farmacológicas Mario Negri, em Milão, acreditam que a explicação está no fato de o organismo utilizar o colesterol para produzir hormônios masculinos que estariam ligados ao câncer de próstata. “Os hormônios andróginos, que têm um papel fundamental no tecido da próstata, são sintetizados a partir do colesterol, o que sugere uma relação biológica entre a substância e o câncer”, disse Cristina Bosetti, uma das autoras da pesquisa.

SEM COMENTÁRIOS