Cana-de-açúcar deve beneficiar região Nordeste na próxima safra

Segundo estimativas da empresa INTL FCStone, clima do Nordeste deve produzir mais cana-de-açúcar, o que deixa o setor sucroenergético mais otimista com a safra 2019/2020

Para a safra de cana-de-açúcar deste ano, a expectativa é de entregar uma produção de 51,1 milhões de toneladas. O resultado da última safra foi de 48 milhões de toneladas.

Cana-de-açúcar e condições climáticas

De acordo com um levantamento realizado pela empresa INTL FCStone, as condições climáticas da região Nordeste apontam que haverá uma melhor safra de cana para o período de 2019/2020. A projeção é que esta área do país produza 51,1 milhões de toneladas nesta safra, ou seja, que será melhor do que o ciclo passado, que atingiu 48 milhões de toneladas. Com isso, a INTL FCStone também aponta um destino maior de etanol para esta época de colheita.

Destino do etanol

Conforme estimativas, 57,1% da cana-de-açúcar nordestina deve ser destinada à produção de etanol, o que corresponde a 2,25 milhões de metros cúbicos. Já o restante, de 42,9%, será voltado à produção de açúcar, equivalente a 2,74 milhões de toneladas.

Durante evento realizado no JCPM Trade Center, em Recife, na quarta-feira (09), em que foi discutido a safra do Nordeste, o consultor em gerenciamento de crise, João Moura, explicou:

“Existe uma condição climática mais favorável. E, nos últimos dois anos, estamos vendo o etanol ganhando mais importância no setor. Isso em virtude da nova política do RenovaBio e da queda nos preços do açúcar no mercado mundial”.

Criado pelo Governo Federal, o programa RenovaBio visa o incentivo à produção e consumo de biocombustíveis.

Cana-de-açúcar ao redor do mundo

A queda no valor do açúcar ao redor do mundo foi decorrente do aumento de sua produção na Índia, um dos principais polos de açúcar, globalmente falando. Como consequência, o produto se tornou bastante procurado. Porém, Moura ressalta que esse nicho da economia pode ser modificado em breve, e ainda complementou que o mercado já iniciou a antecipação do movimento da safra da cana-de-açúcar:

“O desenho para esta safra no mundo, de outubro deste ano a setembro de 2020, é de um déficit mundial de açúcar. Uma perspectiva de alta nos preços do produto no mercado mundial. Isso porque a estimativa é de uma quebra de safra na Índia. Eles são extremamente dependentes da irrigação e do período de chuva. No entanto, houve excesso de chuva, bastante inundações, e isso prejudicou a produção”.

Etanol americano sem imposto

Quando perguntado sobre a liberação que o Governo Federal aprovou de elevar em 150 milhões de litros de etanol vindo dos Estados Unidos para entrar no Brasil sem a necessidade de pagar imposto, o especialista disse que esta decisão pode impactar no sentido de puxar seu valor para baixo:

“Se a cota existir como o Governo anunciou, vai entrar mais etanol, com isso, aumenta a competitividade. Isso baixa o preço do etanol. Se houver uma nova medida de colocar o etanol apenas na entressafra da cana no Nordeste, pode ser que limite a queda do preço e trazer fortalecimento de preço em virtude de maior demanda”.

Fonte: Folha PE

*Foto: Divulgação