Carrefour cresce na pandemia, com alta de 11% entre janeiro e março

Carrefour cresce na pandemia, com direito a divulgar resultado de corrida aos supermercados, que foi maior durante mesmo período de 2019

Os supermercados estão incluídos entre os poucos setores da economia que continuam a ter vendas e lucro, independente da crise provocada pelo novo coronavírus no Brasil. O Carrefour cresce na pandemia, e ainda passou a divulgar nesta segunda (11) os resultados do primeiro trimestre de 2020 pela subsidiária local do grupo francês Carrefour.

Diferente de outros setores econômicos que despencaram entre janeiro e março deste ano, os números do balanço do Carrefour devem demonstrar o resultado da corrida desempenhada pelos consumidores, na intenção de comprar mantimentos e produtos de higiene e limpeza logo que foi anunciado o surto da doença respiratória Covid-19 no Brasil, no início de março.

Carrefour cresce na pandemia

Segundo indicadores prévios de atividade econômica, o setor de supermercados tem se saído melhor até mesmo que o de farmácias, que é considerado outro tipo de comércio essencial em meio ao período de isolamento social.

De acordo com cálculos da corretora de valores Ágora, a receita do Carrefour deve ter aumentado 11% entre janeiro e março de 2020, ante igual período de 2019, para R$ 14,4 bilhões. Já o lucro deve ter avançado 12,4%, a R$ 470 milhões. Sobre isso, o desempenho das vendas pela internet tem sido o principal foco da atenção dos investidores.

Drogarias e farmácias

Apesar de ser um setor essencial em meio à pandemia, como o de supermercados que cresceu 6% na semana de 22 a 28 de março em relação à média histórica, o mercado de drogarias e farmácias sofreu queda de 16%, conforme dados da processadora de pagamentos Cielo. Já o dos varejistas de vestuário recuou 92%.

O Carrefour, provavelmente, se beneficiou do primeiro movimento dos consumidores quando a pandemia chegou ao país: o de encher os carrinhos nos supermercados físicos, chegando a estocar comida de fato. Após isso, com a publicação do decreto de quarentena em várias regiões brasileiras, a maioria dos clientes passou a comprar pelos sites. Portanto, as empresas que já possuíam operação online enérgica vão seguir ganhando, conforme a duração do distanciamento social.

Além disso, pela urgência do momento, que favorece ainda mais as vendas pela internet, o Grupo Pão de Açúcar deve ter apresentado um resultado ainda melhor do que o Carrefour. A receita deve ter aumentado em 15% no período de janeiro a março, para R$ 14,6 bilhões, com alta de 95,4% no lucro, para R$ 428 milhões, segundo contas da corretora Ágora. O Pão de Açúcar vai divulgar seu balanço nesta quarta-feira (13), depois do fechamento da bolsa de valores.

Fonte: Revista EXAME

*Foto: Divulgação