Game pernambucano conquista 1º lugar em premiação cultural

Game pernambucano, Jogo Guardiões da Justiça 1.0, que foca na acessibilidade, tem audiodescrição, Libras e legendas para surdos e ensurdecidos

O jogo Guardiões da Justiça 1.0, produzido pela equipe pernambucana Tangram Cultural, conquistou o 1º lugar no Prêmio Ayrton de Almeida Carvalho de Preservação do Patrimônio Cultural de Pernambuco. A equipe concorria na categoria Formação e teve o apoio do Memorial da Justiça de Pernambuco para construir um game inclusivo, voltado a crianças a partir dos quatro anos e pessoas com deficiências variadas.

Game pernambucano Guardiões da Justiça 1.0

O game pernambucano foi criado para rodar tanto em dispositivos móveis (celulares Android, iPhone e tablets) quanto no PC. Ele pode ser baixado, gratuitamente, nas principais lojas de aplicativos. Além disso, a proposta também inclui atender pessoas de todas as idades com o Transtorno do Espectro Autista (TEA), transtornos de aprendizagem e/ou deficiência intelectual, visual ou auditiva.

Destaque

Contudo, o destaque vai para a acessibilidade comunicacional. O jogo Guardiões da Justiça 1.0 conta com audiodescrição, Libras e legendas para surdos e ensurdecidos, e ainda oferece narração em português e inglês.

Segundo a sócia-diretora da Tangram Cultural, Germana Pereira:

“Foram dois anos de desenvolvimento para tornar o game o mais inclusivo possível. Não criamos o jogo para pessoas sem deficiência e depois o adaptamos. Ele já nasceu com a preocupação da acessibilidade. E este é um grande diferencial.”

Sinopse do jogo

O jogador realiza tarefas para preservar e entrar no prédio do Memorial da Justiça, onde funciona a sede dos Guardiões. Dentro dele, conhecerá personagens do cangaço, frevo, capoeira e escravidão, além de percorrer os 15 níveis de cada tema, realizando atividades e desafios onde aprenderá histórias e memórias que fazem parte do patrimônio cultural brasileiro.

Objetivo

De acordo com seus desenvolvedores, o objetivo de criar este game veio a partir da necessidade de a equipe do Memorial ter uma ferramenta que pudesse ajudar na mediação do museu com as crianças com deficiência.

Prêmio Ayrton de Almeida Carvalho

Esta é a sétima edição da premiação, promovida pela Secretaria de Cultura do Estado de Pernambuco (Secult-PE) e pela Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe). A ideia é selecionar e premiar ações exemplares, voltadas à proteção e preservação do patrimônio cultural material e imaterial de Pernambuco.

Categorias

A premiação conta com três categorias. Neste ano, todos os vencedores da 7ª edição do Prêmio Ayrton de Almeida Carvalho de Preservação do Patrimônio Cultural de Pernambuco podem ser conferidos no portal de Cultura do governo de Pernambuco.

Ainda na categoria Formação, vencida pelos Guardiões da Justiça 1.0, o 2º lugar foi conquistado pelo projeto “Movi Várzea”.

Na categoria Promoção e Difusão, o 1º lugar vai para o projeto “Pífanos de Pernambuco – Do Mapeamento à Salvaguarda”; e o 2º lugar para o “Festival Mamulengando Pernambuco”.

Por fim, na categoria Acervos Documentais e Memória Cultural, 1º lugar ficou para o projeto “Salvaguarda e Preservação do Acervo Audiovisual da TV Viva Olinda”; e 2º lugar para o projeto “Crônicas de uma Transformação: Preservação do Acervo Fílmico sobre a Construção do Porto de Suape”.

*Foto: Reprodução