Hospital da Criança: Prefeitura do Recife decreta desapropriação do terreno

Hospital da Criança terá área de 10 mil m² e será voltada ao público infanto-juvenil, com consultas, exames, cirurgias, atendimento odontológico e diversas subespecialidades pediátricas

Na semana passada, a Prefeitura do Recife dá um passo decisivo para a construção do Hospital da Criança. Ele será erguido na Avenida Recife, no bairro do Caçote.

Hospital da Criança no Recife

Além disso, a edição extra do Diário Oficial do Município trouxe o decreto de desapropriação do terreno que abrigará a nova unidade de saúde. Ela será voltada ao público infanto-juvenil e classificada como de média complexidade, com área construída em torno de 10 mil m².

Obras do Hospital da Criança

As obras ficarão sob a responsabilidade do Gabinete de Projetos Especiais (GABPE). O valor de mercado estimado do terreno é de R$ 6,7 milhões. O prefeito João Campos anunciou a medida no último dia 24.

“Venho compartilhar uma grande notícia: está no Diário Oficial do município um decreto de desapropriação do terreno onde ficará o nosso Hospital da Criança. Foi um compromisso nosso que a gente vai poder construir e entregar para a cidade do Recife. Quero agradecer à bancada federal de Pernambuco, os deputados federais que colocaram emendas desde o ano passado, para viabilizar a construção, ao governador Paulo Câmara, que também está ajudando a viabilizar a desapropriação desse terreno, que ficará em frente ao Hospital Eduardo Campos da Pessoa Idosa, na Avenida Recife”, destacou o prefeito João Campos. “Ali ficará o nosso bonito e grande Hospital da Criança, que terá uma importante função social de cuidar e de promover a saúde em nossa cidade. É mais um passo que a gente dá, sempre com muito trabalho.”

Depois da desapropriação, até o mês de julho a Prefeitura lançará o edital de licitação para contratar o projeto executivo da obra.

Atendimento

O Hospital da Criança atenderá pessoas com idade abaixo de 18 anos e terá três blocos (Ambulatorial, Hospitalar e Administrativo), com capacidade para 3.580 consultas, 4.800 exames e 480 cirurgias por mês. A unidade ofertará 50 leitos de internação clínica, cirúrgica e integrais de Saúde Mental, além de 10 leitos de UTI, e realizará cirurgias de pequeno porte.

Capacidade resolutiva

Contudo, o hospital possui um papel importante de retaguarda às equipes de atenção básica. Isso amplia sua capacidade resolutiva, o que ajuda a minimizar o tempo de internação e humanizar a assistência.

A população terá acesso a ambulatórios especializados em diversas subespecialidades pediátricas, Serviço de Apoio Diagnóstico e Terapêutico (SADT) e Centro de Apoio ao Atendimento à Criança Vítima de Violência, além de Centro de Especialidades Odontológicas (CEO Tipo 3).

Ambiente lúdico

O hospital infantil também terá um ambiente lúdico, com janelas amplas e vista para o ambiente externo.

Além disso, o projeto usará painéis de madeira para a decoração, com elementos e pinturas que remetem à natureza e a brincadeiras infantis. Isso porque os estudos mostram que um ambiente adequado facilita a recuperação das crianças. Durante o dia, será aproveitada a luz natural para iluminação dos ambientes.

Subespecialidades

No Bloco Ambulatorial, serão oferecidas diversas subespecialidades pediátricas: Pediatria, Fisiatria, Neuropediatria, Psiquiatria, Gastroenterologia, Psicologia, Ginecologia, Nutrição, Hebiatria, Dermatopediatria, Oftalmopediatria, Otorrinopediatria, Cirurgia Pediatrica e Fisioterapia Respiratória.

O espaço abrigará também o SADT, que ficará responsável pela realização de exames complementares, para finalização de diagnósticos cirúrgicos e clínicos/ambulatoriais. E também com exames de imagens e laboratoriais gerais e específicos: radiologia simples e com contraste, ultrassonografia, tomografia computadorizada, eletroencefalografia, eletroneuromiografia, teste pulmonar, endoscopia digestiva e patologias clínicas.

Cirurgias no Hospital da Criança

Por fim, o local contará com estrutura hospitalar de pequeno porte, tendo 50 leitos de enfermaria e 10 leitos de UTI. Equipado com duas salas cirúrgicas e uma sala de recuperação anestésica, poderá realizar cirurgias de pequeno porte. Já o Bloco Administrativo terá auditório, cozinha, refeitório, almoxarifado, farmácia, área para Engenharia Hospitalar, vestiários, banheiros e docas para carga e descarga.

*Foto: Reprodução