Instituto Inhotim cumprirá medidas de distanciamento para poder reabrir

Em função da pandemia do novo coronavírus, as visitas ao Instituto Inhotim foram suspensas

O Instituto Inhotim, situado na cidade mineira de Brumadinho, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, voltará a receber visitações. O museu a céu aberto tinha sido interditado, em razão da pandemia da Covid-19, e com isso as visitas foram suspensas no dia 18 de março.

No entanto, a data de retorno das atividades do espaço de cultura ainda não foi definida e vai depender das avaliações de autoridades sanitárias e nos dados de evolução da doença. Porém, uma coisa é certa: a reabertura do espaço vai seguir o protocolo preparado por uma consultoria especializada em infectologia, contratada pelo museu para auxiliar na definição das estratégias de prevenção e controle do novo coronavírus. Em entrevista à Agência Brasil, o diretor-presidente do Inhotim, Antonio Grassi, afirmou:

“Estamos trabalhando com um cenário muito incerto. Muitas instituições tiveram sinais de reabertura e depois de retrocesso. Isso em várias áreas, então, a gente tem aguardado também momentos mais estáveis para anunciar o momento de reabertura.”

Medidas

Além disso, o Instituto Inhotim quer adotar medidas que garantam o retorno com segurança das atividades aos visitantes, funcionários e moradores de Brumadinho, reforça Grassi:

“Nesse momento, a gente se prepara não só em relação ao atendimento ao público, mas no treinamento da nossa equipe para lidar com este novo momento que virá pela frente.”

Manutenção do Instituto Inhotim

Embora a visitação esteja suspensa neste momento, os funcionários das áreas de manutenção de galerias, de obras e dos jardins se revezam para manter as instalações. O museu aproveitou ainda para realizar reparações técnicas e de conservação. Grassi também disse que todos da equipe do Instituto Inhotim que seguem trabalhando no espaço passam regularmente por testes de diagnóstico da Covid-19:

“Logo depois que entramos no isolamento, começamos a fazer os testes, porque parte dos nossos funcionários, em número reduzido, trabalha em rodízio para manutenção do jardim. Nessa equipe que trabalha diretamente em Inhotim tem sido feito um controle bastante intenso. É fato que nós não temos nenhum caso ainda de contaminação entre os nossos funcionários. Outra parte, que trabalha em home office tem outro procedimento, mas o Inhotim não pode abrir mão dessa manutenção, porque somos um jardim e a manutenção dele é muito importante.”

Trabalho remoto

Todavia, os funcionários que atuam nos setores administrativos estão trabalhando em esquema home office. Sendo assim, este grupo garante a continuidade de projetos socioeducativos, de captação de recursos, e de comunicação com o público.

Horários alterados no Instituto Inhotim

Em relação à reabertura do museu, os horários serão alterados. Antes da pandemia, o funcionamento era de terça a domingo. Porém, quando retornar o horário passará a ser de sexta a domingo e nos feriados. Todavia, os horários foram mantidos, ou seja, às sextas-feiras, das 9h30 às 16h30, e até 17h30 aos sábados, domingos e feriados.

Limite de público

Em função da pandemia, o limite de pessoas para visitação mudará também. Antes, era permitido 5.000 visitantes diariamente. Agora, o limite não ultrapassará 500 e ainda com ingressos comprados via internet, antecipadamente.

Não serão permitidas visitas em grupos, como excursões, até que a situação esteja mais segura. Contudo, as visitas educativas continuam, mas seguindo as medidas de segurança, que inclui a redução de 20 para 5, no número de participantes, uso de máscara, priorização de espaços abertos e troca de uniforme dos mediadores após o atendimento.

Além disso, para organizar os roteiros de visitação ao parque, a circulação vai ter divisão por eixos nas cores laranja, rosa, amarela, que será alternada em turnos da manhã e da tarde.

Intervalos dos serviços de limpeza

No caso da limpeza do local, terá redução dos intervalos destes serviços, especialmente nos banheiros, com controle rígido de higienização; monitoramento de possíveis focos de filas e aglomerações; disponibilização de álcool em gel a 70% em todas as galerias; marcações no chão para a distância mínima de 1,80m entre pessoas; delimitação de lugares nos assentos; e sinalização de fluxo de pessoas.

Os carros elétricos usados pelos visitantes para percorrer a extensão do parque, principalmente os da parte mais alta, serão oferecidos exclusivamente para locação. Sendo assim, fica suspenso o serviço de carrinhos por pontos, em que várias pessoas fazem uso ao mesmo tempo.

3 períodos de interrupção

Com a pandemia, esta já é a terceira paralisação, nos últimos anos, das atividades do Instituto Inhotim, que também atua como um jardim botânico.

Grassi recorda que em 2018, por causa da febre amarela, a visitação foi suspensa durante um período e na volta foi exigido o cartão de vacinação do visitante para entrar no local:

“A frequência caiu muito e tivemos que trabalhar muito efetivamente para recuperar o fluxo normal.”

A segunda paralisação foi em virtude do rompimento da barragem de rejeitos da Mina Córrego do Feijão, em janeiro de 2019. Na ocasião, mesmo não sendo atingido pelo desastre ambiental, houve a preocupação com visitantes e funcionários. Muitos deles são moradores de Brumadinho e tiveram perdas de pessoas da família, além de amigos.

Sobre o retorno das atividades, o diretor-presidente afirma:

“Assim como nas anteriores, a nossa expectativa é de que a gente consiga também dar a volta por cima e superar essa questão.”

*Foto: Divulgação