Medidas restritivas no Agreste: saiba quais são

Novas medidas restritivas no Agreste foram impostas pelo Governo de Pernambuco neste sábado (15)

O Governo de Pernambuco anunciou, neste sábado (15) novas medidas restritivas para a 2ª Macrorregião de Saúde. Ela abrange a IV e V Geres, com sedes em Caruaru e Garanhuns, respectivamente. A decisão ocorreu após uma reunião do Comitê de Enfrentamento à Covid-19. As medidas para a região do Agreste pernambucano serão publicadas na próxima segunda-feira (17) e começarão a valer a partir da próxima terça (18). O decreto tem validade até o dia 31 de maio.

Vale lembrar que antes do decreto da pandemia, em 2020, esta região enfrentou uma situação emergencial de seca.

Novas medidas restritivas no Agreste

Com as novas medidas restritivas no Agreste, as atividades econômicas deverão ser encerradas às 18h durante a semana. Nos finais de semana, apenas supermercados, feiras livres de produtos alimentícios, farmácias, padarias e postos de gasolina poderão abrir as portas. Já o Polo de Confecções deverá ficar fechado aos sábados, domingos e segundas.

Sobre isso, o governador do Estado, Paulo Câmara, explicou sua decisão:

“Nos reunimos hoje com os secretários estaduais, após o encontro que tivemos com todos os prefeitos e prefeitas do Agreste, na tarde da última sexta-feira, e verificamos um aumento na velocidade do número de internações e de procura pelas instituições de saúde naquela região. Isso tem nos preocupado, pois todos nós sabemos que enquanto a vacinação não chegar a todos os pernambucanos, é necessário tomar medidas restritivas para diminuir a circulação do vírus. Precisamos cada vez mais trabalhar para salvar a vida dos pernambucanos.”

E ele ainda acrescentou:

“Serão 14 dias com essas novas medidas e vamos observar, ao longo desse período, as próximas etapas necessárias.”

Comportamento diferente

Além disso, segundo o secretário de Saúde, André Longo, foi observado que, sobre a pandemia, um comportamento no Agreste diferente de outras partes do Estado.

“O que nós detectamos, nessas últimas duas semanas, foi uma aceleração maior naquela região, destoando do restante do Estado, onde temos um platô ainda em níveis elevados. Os patamares de crescimento de demandas lá superaram os 44%, enquanto no resto do Estado ficou na casa dos 9%.”

Por fim, Longo reforçou sobre o esforço dos 53 municípios diante do agravamento da pandemia:

“É muito importante que seja feito um esforço por todos esses 53 municípios, reforçando o cuidado, com o uso correto da máscara, cobrindo a boca e o nariz, sempre que precisar sair de casa. O ideal é que as pessoas possam ficar em casa, além de manter o distanciamento social possível e sempre higienizar as mãos com água e sabão, ou utilizando o álcool em gel.”

*Foto: Divulgação