Mercado industrial de Pernambuco pede consumo livre de gás

Além do consumo livre de gás, o setor também pediu ao secretário de Desenvolvimento Econômico e ao presidente da AD Diper para realizarem a mudança fiscal

O setor industrial de Pernambuco se reuniu nesta semana com o secretário de Desenvolvimento Econômico do Estado, Bruno Schwambach e com o presidente da Agência de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco (AD Diper), Roberto Abreu e Lima. O motivo do encontro presencial foi para pedir mudanças em benefícios fiscais e no consumo livre de gás natural no estado.

Vale lembrar que no mês passado ouve uma chamada pública da Copergás para adquirir gás natural para que o mercado fosse mais competitivo.

Debate sobre o consumo livre de gás natural

Os gestores públicos foram recebidos por uma comitiva composta pelo Centro das Indústrias de Pernambuco (Ciepe) e pela Federação das Indústrias de Pernambuco (Fiepe).

A reunião teve o objetivo de discutir o consumo livre de gás natural no estado. Para os representantes do setor este é um fator que pode incentivar a atração de novos empreendimentos a Pernambuco. Hoje, a lei estadual só possibilita a concessão às indústrias que consomem mais de 500 mil metros cúbicos de gás por dia. A alegação é que esse limite mínimo ainda está bem alto para a realidade do setor.

Redução do teto mínimo

Porém, o governo prometeu diminuir o teto mínimo para o consumo de gás livre a indústrias que usem a partir de 50³ mil diários. Este limite mínimo seria reduzido em 50% de dois em dois anos, a partir do ano que vem.

Benefícios fiscais

Além disso, outro fato debatido na reunião foi a possibilidade de estender em 12 meses os benefícios fiscais concedidos ás empresas que integram o Programa de Desenvolvimento do Estado de Pernambuco (Prodepe).

Em razão da pandemia, as instituições que representam o setor pediram via ofício o adiamento da suspensão dos incentivos. Isso porque, pelo decreto 46957, ele ocorreria em dezembro de 2020.

A Ciepe afirma que a secretária de Desenvolvimento Econômico dará encaminhamento ao pleito do segmento industrial junto ao governador Paulo Câmara e outras partes envolvidas no assunto.

Todavia, Paulo Drummond, vice-presidente do Ciepe, disse que os pontos abordados em reunião foram positivos, e o setor tem boa expectativa para uma resposta da gestão estadual:

“Foram assuntos discutidos por conta dos impactos da pandemia no nosso setor. Bruno Schwambach se demonstrou aberto e interessado. O tema do gás natural já vinha sendo discutido entre Fiepe e o Governo, mas a pandemia esfriou. O encontro serviu para avançar no projeto de lei que será apresentado. É importante porque gás traz produtividade para a indústria e com essa abertura de mercado, a Copergás pode comprar de terceiros fornecedores, assim como nós consumidores.”

*Foto: Divulgação