Patrimônios Vivos de Pernambuco: saiba quem são eles

Entre os novos Patrimônios Vivos de Pernambuco, estão: Maria Jacinta, Mestra de Reisado e o Velho Xaveco, definidos em reunião online do Conselho Estadual de Preservação do Patrimônio Cultural (CEPPC)

Na última quinta-feira (12), o Conselho Estadual de Preservação do Patrimônio Cultural (CEPPC) elegeu seis novos nomes referentes ao concurso anual de Registro de Patrimônios Vivos de Pernambuco. A definição das personalidades ocorreu em reunião online do CEPPC, que é vinculado à Secretaria de Cultura.

Seis novos Patrimônios Vivos de Pernambuco

Foram mais de 90 candidatos inscritos, e foram selecionados: Mestre Luiz Antônio (Barro – Caruaru), Maria Jacinta Sampaio da Silva (Mestra de Reisado – Santa Maria da Boa Vista), Marliete Rodrigues (Barro – Caruaru), Velho Xaveco (Pastoril – Recife), Mãe Beth de Oxum (Coco – Olinda), Caboclinho União 7 Flexas (Goiana).

Diploma

Cada escolhido no concurso anual recebe diploma com o título de “Patrimônios Vivos de Pernambuco”. E ainda ganha uma bolsa mensal no valor de R$ 1.600 (pessoa física) e R$ 3.200 (grupo, entidade, agremiação ou associação).

Sobre isso, o presidente da Fundarpe e integrante do Conselho Estadual de Preservação, Marcelo Canuto, afirma que a lista de nomes divulgada “evidencia o peso da nossa cultura”.

Registro do Patrimônio Vivo de Pernambuco

O Registro do Patrimônio Vivo de Pernambuco foi pensado para dar suporte financeiro e preservar processos de criação e divulgação de técnicas, modos de fazer e saberes das culturas tradicional ou popular pernambucanas. Até o momento, o estado pernambucano soma ao menos 75 Patrimônios Vivos registrados. Segundo Gilberto Freyre Neto, secretário de Cultura de Pernambuco:

“O registro de mais seis Patrimônios Vivos significa a salvaguarda de mais seis expressões culturais de Pernambuco. Ajudar a garantir a produção e o legado dessas pessoas e entidades é o ponto mais importante dessa ação que é uma das mais especiais do Governo Estadual.”

Velho Xaveco

Aos 86 anos, Antônio Coutinho é considerado o Velho do Pastoril mais antigo do Estado. Ele nasceu em Bezerros, no Agreste, e interpreta o Velho Xaveco desde 1978.

Marliete Rodrigues

Aos 57 anos, a mestre do barro, do Alto do Moura, em Caruaru, passou da brincadeira com a matéria-prima abundante na região para a produção de peças postas à venda na Feira de Caruaru. Hoje, tem uma coleção de peças espalhadas pelo mundo.

Mãe Beth de Oxum

Maria Elizabeth Santiago de Oliveira, 57, é mestra da cultura popular de Pernambuco. Nasceu na comunidade da Barreira do Rosário, arredores do Sítio Histórico de Olinda. Mãe Beth de Oxum possui forte legado com a brincadeira do coco de roda. É casada com o Mestre Quinho Caetés, tem quatro filhos e todos eles inseridos no universo da cultura do coco de roda.

Mestre Luiz Antônio

Luiz Antônio da Silva nasceu em 1935, no Alto do Moura, em Caruaru. Ele é considerado um dos principais nomes na arte popular brasileira. É discípulo contemporâneo do Mestre Vitalino, dando prosseguimento ao legado do maior nome do barro do Brasil.

Mestra de Reisado Maria Jacinta

Aos 96 anos, Maria Jacinta Sampaio da Silva é uma das mais antigas mestras de cultura popular em Pernambuco. A Mestra de Reisado viu o primeiro reisado em sua casa, ainda criança. Nos anos 1960, fundou seu próprio grupo, com marido e filhos.

Caboclinhos União 7 Flexas de Goiana

Em 25 de março de 1991, Mestre Nelson Ferreira fundou a agremiação Caboclinhos União 7 Flexas de Goiana (Zona da Mata). Esta é uma das mais importantes manifestações culturais do Estado e representou a cultura pernambucana na abertura dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, em 2016.

*Foto: Divulgação