Pernambuco envia 200 concentradores de oxigênio ao Amazonas

Concentradores de oxigênio serão transportados hoje (16), com destino a Manaus

O Governo de Pernambuco e a Prefeitura do Recife (PCR) estão enviando 200 concentradores de oxigênio para o Amazonas. O estado da região norte do país vive um colapso no sistema de saúde há mais de 24 horas, com falta de oxigênio para os hospitais. 

Concentradores de oxigênio

Cem concentradores de oxigênio foram disponibilizados pela gestão do estado de Pernambuco e outros cem pela prefeitura do Recife. Contudo, os equipamentos foram utilizados pelos hospitais de campanha que foram desmobilizados.

Como será feita a entrega

Por meio da companhia aérea Azul, os concentradores de oxigênio serão levados neste sábado (16). Os equipamentos correspondem a um aparato total de mais de três toneladas. A carga sairá do Aeroporto Internacional de Recife/Guararapes – Gilberto Freyre para Manaus, capital amazonense.

De acordo com André Longo, secretário de Saúde de Pernambuco, em entrevista à Folha de Pernambuco:

“O enfrentamento da Covid-19 é um desafio de toda a nação brasileira e estamos todos embuídos do sentimento de ajudar nossos irmãos amazonenses nesse momento difícil. Este é um gesto humanitário e que não tem impacto na assistência aos pernambucanos.”

Para que serve?

Os equipamentos são indicados para o tratamento de pacientes que precisam de suporte de oxigênio durante a assistência médica. Sendo assim, os concentradores funcionam como máquinas que fornecem O2 a partir do ambiente. Com isso, ele concentra o oxigênio que fica com pureza de até 95%. Além disso, ele é capaz de disponibilizar até cinco litros de O2 por minuto ao paciente.

Ajuda pernambucana

Na noite da última quinta-feira (14), o governador de Pernambuco, Paulo Câmara, conversou com o governador do Amazonas, Wilson Lima, e ofereceu ajuda. Sobre isso, Paulo afirma:

“Coloquei o estado de Pernambuco à disposição dos cidadãos amazonenses. Faremos tudo que esteja ao nosso alcance para ajudar os irmãos do Amazonas a superar esse momento crítico da pandemia.”

*Foto: Divulgação