Universidades de PE pode ter retorno das aulas presenciais em 8 de setembro

As universidades de PE podem ter o retorno de suas aulas presenciais em 8 de setembro. Elas abrangem as Macrorregiões 1, 2 e 4 (delimitada na Geres VIII ,com sede em Petrolina). Esses locais receberam autorização do Governo do Estado. A data foi anunciada hoje (31) pelo secretário estadual de Educação, Fred Amâncio, em entrevista coletiva online. No entanto, Fred anunciou também a prorrogação do decreto sobre a Educação Básica em todo o Pernambuco. Com isso, as aulas seguem suspensas até o dia 15 de setembro.

Vale lembrar que no início do mês de agosto, o estado lançou o Programa ‘Conecta Aí’, garantindo internet gratuita a estudantes da rede estadual de ensino.

Universidades de PE – Macrorregiões

A macrorregião 1 abrange a Região Metropolitana do Recife e as Zonas da Mata Norte e Sul; e a 2 compreende os municípios de Caruaru, Garanhuns e seus entornos, no Agreste. Já a macrorregião 4 é integrada pela 8ª Geres, além de reunir as cidades do grupo que tem como polo o município de Petrolina, no Sertão.

Macrorregião 3 de fora

No entanto, a macrorregião 3 e as Geres com sede em Arcoverde, Serra Talhada e Afogados da Ingazeira, e ainda as duas Geres pertencentes à macrorregião 4, com sede em Ouricuri e Salgueiro, ficaram de fora desta autorização.

Segundo o secretário estadual de Saúde, André Longo, que também participou da coletiva, ainda não é possível igualar o cenário epidemiológico de todas as regiões de Pernambuco:

“Ainda não há uma homogeneidade dentro das proprias macrorregiões. Ainda temos  situações em algumas das Gerências Regionais de Saúde (Geres) que ainda exigem cuidado. A gente ainda não tem esse comportamento uníssono nos 15 dias em todas as regiões. É por isso que nós não vamos tomar medidas homogêneas para todas as macrorregiões do Estado.”

Protocolo para as universidades de PE

Conforme afirma o Governo do Estado, o protocolo para o retorno das aulas presenciais nas universidades de PE será anunciado até esta sexta-feira (4). Além disso, caberá à instituição de ensino a decisão da retomada, ou não, das aulas, afirma Fred Amâncio:

“Além de se tratar de uma autorização dada pelo Comitê de Combate à Covid-19, vale destacar que é um público adulto atendido. Outro ponto a ser destacado é que esse processo de retomada vai ser feito em etapas, e as aulas poderão assumir, a partir da decisão das instituições, várias configurações.”

Esquema escalonado

Entretanto, a retomada das atividades presenciais nas universidades de PE será feita em esquema escalonado, diz o Governo do Estado. Sendo assim, na primeira fase, com início dia 8, as instituições de ensino só poderão receber até 25% da sua capacidade. No dia 14 de setembro, as aulas poderão ser retomadas com até 50% da capacidade de alunos. O mesmo ocorre entre os dias 21 e 28 de setembro, com 75% e 100% de sua capacidade, respectivamente, revela o secretário.

“A própria instituição vai definir quais são as turmas e cursos que vão retomar. É uma decisão que vai caber a cada uma das instituições. Mas a nossa sugestão é que a grande prioridade seja dada para os estudantes concluintes.”

Cursos Livres

Em contrapartida, os cursos que já tinham retomado suas atividades, poderão atender 100% de sua capacidade já no dia 8. Na lista, estão os cursos de línguas, formação e qualificação profissional, música e outros. Além disso, a categoria educacional não se enquadra como ensino básico superior.

Desde 17 de agosto, que as aulas presenciais desses cursos acontecem de forma escalonada. Na ocasião, as instituições de ensino tiveram permissão para atender estudantes a partir de 18 anos e receber até 25% da sua capacidade.  No dia 24 de agosto, esses locais começaram a segunda fase da retomada, com 50% da capacidade, com idade mínima de 15 anos. E partir de hoje (31), as instituições poderão contar com 75% da capacidade de alunos, com idade a partir dos 11 anos e, por fim, no dia 8 de setembro, 100% da capacidade.

Enem e demais cursos preparatórios

Em relação aos cursos preparatórios para o Enem, SSA e outros vestibulares ou cursos de disciplinas específicas da educação básica (matérias isoladas, por exemplo), e os cursos técnicos do nível médio não estão autorizados a retornar.

*Foto: Divulgação/Heudes Regis/SEI