Vendas de fim de ano devem ficar no mesmo patamar do ano passado

Vendas de fim de ano com mesmo cenário é uma estimativa da CDL Recife

O comércio de fim de ano deve apresentar o mesmo patamar de 2020. É o que diz o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), Fred Leal. Segundo ele, a expectativa é que este fim de 2021 seja razoável e com vendas parecidas com as que aconteceram no fim de 2020.

Ele também disse, em entrevista pelo lançamento da campanha Natal Premiado, que aos menos dois fatores podem impactar este cenário para a economia nacional.

“Este ano, não vai ser tão bom quanto se esperava no meio do ano. Não tivemos um novembro bom. A Black Friday não foi aquilo que se esperava. A expectativa é que seja um fim de ano bom, mas não vai ser um estouro.”

Vendas de fim de ano

Geralmente, o final de ano é uma das melhores datas para comércio. Mas Fred ressalta que por conta da pandemia, dois fatores impactarão no resultado:

“Este ano, temos um problema que é a inflação, incluindo a dos serviços. O consumidor está muito endividado. As pessoas vão comprar um presente mais barato, porque aumentaram os preços da energia, do gás e da gasolina. Isso tudo pesa no bolso de cada consumidor.”

Ele disse ainda que a expectativa é de que o ticket médio por consumidor decresça em valor este ano por causa da inflação e endividamento.

Outro fator lembrado por Fred, mas que pode impactar positivamente diz respeito às vendas nos bares, restaurantes e em eventos. Isso porque no ano passado, esses estabelecimentos estavam com restrições de funcionamento ou com os serviços suspensos por conta da pandemia.

“Estamos cautelosos para 2022, porque é um ano que nasce com muita incerteza e muitas indefinições em várias áreas, como a social, a política e a economia.”

A pandemia foi muito ruim para o setor, afirma:

“Em dezembro do ano passado, quando a gente achava que estava tudo resolvido, voltou tudo de novo. Este final de ano, quando as coisas pareciam estar melhorando, veio a ômicron, que pelo que dizem, parece ser mais contagiante e menos letal. A covid-19 veio para ficar e a gente vai ter que se vacinar com uma regularidade.”

Novos hábitos

Por outro lado, para ele, a  pandemia trouxe novos hábitos para as pessoas:

“Isso acelerou o comércio eletrônico de uma forma fora do comum, a logística da entrega de produtos também avançou. Houve uma antecipação de várias tendências que chegariam ao comércio no futuro. Todas estas mudanças não são fáceis de entrar na cabeça dos lojistas.”

*Foto: Reprodução/Arthur Mota