Abastecimento de água no Agreste pernambucano: Compesa amplia serviço

Abastecimento de água no Agreste pernambucano integra o Sistema Adutor dos Poços de Tupanatinga, que recebeu aporte de R$ 53 milhões e beneficiará 180 mil pessoas da região

Recentemente, Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa) depois de mais um período de testes habilitou mais um poço do Sistema Adutor dos Poços de Tupanatinga. O objetivo é levar mais água ao Agreste pernambucano.

Vale ressaltar que abril de 2020, a Compesa lançou um aplicativo capaz de monitorar ciclos de abastecimento de água.

Abastecimento de água no Agreste pernambucano

Para viabilizar a obra de abastecimento de água no Agreste pernambucano, o Sistema recebeu aporte de R$ 53 milhões. Desse montante, R$ 41 milhões são para implantação da tubulação e outros R$ 12 milhões para construção dos poços. Do total, 90% são oriundos do Ministério do Desenvolvimento Regional e 10% do Governo do Estado.

Benefício para quase 180 mil pessoas

Além disso, a obra para abastecimento de água no Agreste pernambucano vai beneficiar em torno de 180 mil pessoas, nas cidades de Tupanatinga, Águas Belas, Itaíba, Iati e Buíque, localizadas no Agreste do Estado. As obras vão ainda interligar o sistema da Adutora do Agreste.

Capacidade produtiva de 10 litros de água por segundo

O novo equipamento possui 240 metros de profundidade e capacidade produtiva de 10 litros de água por segundo. Os serviços de perfuração, limpeza, desinfecção e desenvolvimento para produção de água foram concluídos em janeiro. Portanto, este é o sétimo poço perfurado da bateria de 20 poços tubulares profundos com entrega programada até o final de 2021.

Sendo assim, os 20 poços serão distribuídos em três baterias, captando a água do aquífero Tacaratu, situado na Bacia Sedimentar de Jatobá, na cidade de Ibimirim, Sertão do Moxotó. A expectativa da Compesa é de que o poço capte uma vazão total de 200 litros por segundo.

Segurança hídrica

Contudo, Flávio Figueiredo, diretor técnico e de Engenharia da Compesa afirma que com os poços a população da região terá mais segurança hídrica. Isso porque terão ligação com Adutora do Agreste.

“Os poços vão trazer uma segurança hídrica, com segurança para a Adutora, são 180 mil pessoas beneficiadas. Os cinco municípios beneficiados vão ficar mais abastecidos, e não terão mais as dificuldades que sofrem com a seca.”

Ele ainda ressaltou que até o fim de 2021 todos os poços estarão em funcionamento:

“Quando estiverem em funcionamento vão fornecer 500 litros por segundo. Já contamos com oito perfurados, testados, e até junho vamos ter mais 6 poços, sendo 14 no primeiro semestre aptos a levar água para a adutora. Até o final do ano fechamos nosso objetivo de 20 poços, tornando o sistema mais ágil

Por fim, os tubos que vão interligar os poços até as adutoras possuem mais de 60 quilômetros. Cada poço tem uma pequena adutora, para impulsionar a água, além de seis estações elevatórias.

*Foto: Divulgação/Aluísio Moreira