Anvisa começa análise de dados das vacinas Coronavac e Oxford

Início da análise de dados das vacinas foi anunciado na segunda-feira (11)

Na segunda-feira (11), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou que técnicos do órgão regulador de saúde iniciaram a análise de dados das vacinas do Instituto Butantan (Coronavac) e da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz, AstraZeneca-Oxford) para o uso emergencial contra a Covid-19.

Vale ressaltar que no caso da Coronavac já foi assinado um termo de cooperação entre o governo de São Paulo e a prefeitura do Rio de Janeiro para a compra do imunizante.

Análise de dados das vacinas

A análise de dados das vacinas acontece depois do período de checagem inicial da documentação. Tanto o Butantan como a Fiocruz apresentaram na sexta-feira (8) à Anvisa os pedidos de uso emergencial dos imunizantes. De acordo com comunicado à imprensa, a Anvisa afirmou:

“Durante a análise dos documentos, a agência continuará a habitual comunicação com os dois solicitantes da autorização de uso emergencial das vacinas Covid-19. Esta comunicação visa esclarecer e aprimorar as informações presentes nos processos sanitários que subsidiarão a decisão técnica e regulatória da Anvisa.”

Etapa atual

Na etapa atual, a Anvisa avalia os documentos técnicos capazes de comprovar se as vacinas são eficazes para prevenir morbidade e mortalidade:

“Ou seja, a agência avalia as evidências diretas de Boas Práticas de Fabricação, qualidade, eficácia, segurança e imunogenicidade. A análise também inclui o plano de minimização dos riscos das vacinas.”

Início da vacinação

Por outro lado, em uma visão mais otimista, o governo federal pretende começar a vacinação contra a Covid-19 em todo o Brasil no dia 20 de janeiro. Mas isso depende do aval da Anvisa e do posterior envio dos imunizantes a Estados e municípios.

Ainda de acordo com o comunicado, o órgão regulador afirma que não fará qualquer anúncio por meio de notas ou dar detalhes adicionais dos processos. Isso não acontecerá até a reunião pública da Diretoria Colegiada que definirá a decisão sobre os pedidos de uso emergencial.

Butantan

Além disso, no sábado (9), a Anvisa disse que havia pedido ao Instituto Butantan a apresentação de informações complementares. Isso ocorreu após a conclusão da triagem inicial de documentação apresentada na véspera pelo instituto.

Dentre as informações e resultados que ainda devem ser apresentados, a agência solicitou as características demográficas e basais críticas da população do estudo e outras características.

Em contrapartida, a documentação apresentada pela Fiocruz para autorização de uso emergencial da vacina da AstraZeneca-Oxford foi aprovada pela Anvisa.

*Foto: Divulgação