Escolas particulares de Pernambuco podem voltar com 100% da capacidade

Escolas particulares de Pernambuco poderão receber todos os estudantes e usar espaços, mas mantendo o distanciamento social.

Nesta segunda-feira (2), após um longo período de pausas nas atividades presenciais e rodízios com aulas remotas, as escolas particulares de Pernambuco voltaram a abrir.

Vale lembrar que em diversas ocasiões, os colégios particulares da região tiveram de suspender as aulas, como no Carnaval deste ano.

Escolas particulares de Pernambuco retomam atividades

Sendo assim, esta é a primeira vez desde o começo da pandemia de Covid-19 que é permitido receber todos os estudantes e usar espaços. Isso inclui: a quadra de educação física, mas desde que seja respeitado o distanciamento mínimo de 1 metro entre os alunos.

Apesar da manutenção dos protocolos e restrição no distanciamento, algumas unidades conseguiram acomodar todos os estudantes. É o que segue o Colégio Saber Viver, no bairro do Espinheiro, no Recife. A unidade atende em torno de mil alunos do Ensino Infantil ao Fundamental 2. Para marcar a reabertura, a escola programou uma recepção com artistas da Escola Pernambucana de Circo.

Segundo a coordenadora pedagógica do colégio, Mariana Bezerra:

“A gente passou por uma reforma estrutural em alguns espaços coletivos. Além disso,  aumentou a quantidade de supervisores para acompanhar o distanciamento e o cuidado com a máscara.”

O que pensa os jovens

Entre os estudantes há um clima de ansiedade pelo retorno. É o que diz a aluna do 6° ano, Liz Pena Galvão, de 11 anos, não dormiu à noite.

“Muito tempo sem vir à escola e ver meus amigos. O sentimento de voltar é incrível.”

Por outro lado, no Colégio Fazer Crescer (CFC), no bairro do Rosarinho, o retorno das atividades presenciais foi bem tranquilo para os alunos. Estudante do 1° ano, Lorena Santos, 15, nota uma diferença grande entre o presencial e o remoto.

“Está tudo bem até agora. Dá para prestar atenção e, mesmo não tendo contato físico, a convivência é bem melhor.”

95% dos alunos decidiram voltar ao módulo presencial

Em relação à retomada, a coordenadora Amenaide Pessoa, explica que 95% dos alunos decidiram voltar ao módulo presencial. Além disso, a escola preparou um protocolo específico com infectologistas.

“No recreio, por exemplo, não descem todas as turmas. Algumas ficam lá em cima, lanchando com 1,5 metro de distância, e as outras duas descem. Usamos as salas também, com cadeiras mais distanciadas. Não tivemos muitos problemas.”

Novo decreto estadual

De acordo com o novo decreto estadual, a distância mínima permitida dentro das salas de aula foi reduzida de 1,5 m para 1 m. Já nos espaços de convivência, de 2 m para 1,5 m, o que possibilitou um aumento na presença de alunos.

Turmas híbridas e presenciais

Em contrapartida, no Colégio DOM, no bairro de Casa Caiada, há algumas turmas híbridas e outras presenciais. Porém, Arnaldo Mendonça, coordenador pedagógico da unidade, concorda com a redução no distanciamento.

“As escolas são os ambientes mais seguros que esses jovens e essas crianças frequentam. Todos os profissionais são treinados para orientar os alunos sobre os cuidados.”

Embora o estudante Kaiky Gabriel Malafaia, 15, estar no primeiro ano do Ensino Médio, ele já se prepara para o processo de ingresso nas universidades. E passar por isso em meio à uma pandemia é desafiador para ele:

“É uma realidade que ninguém espera enfrentar, então tem que ter muita determinação.”

*Foto: Divulgação/Rafael Furtado