PCR faz consulta pública sobre impactos gerados pelo ensino remoto na pandemia

Com o período de quarentena decretado em todo o país no mês de março, a educação no Brasil passa por um novo contexto de aprendizado: o ensino remoto na pandemia destinado a crianças. E na capital pernambucana não é diferente.

A proposta é compreender como esse ensino em casa vem ocorrendo desde o início do período de isolamento social. Com isso, será possível absorver os ajustes a serem feitos com a intenção de que as experiências de aprendizagem vivenciadas pelas crianças, neste novo formato, possam ser significativas.

Ensino remoto na pandemia

Com esse objetivo em mente, a Secretaria Executiva para a Primeira Infância do Recife, em parceria com as Universidades Federal e Federal Rural de Pernambuco (UFRPE e UFPE), lançou a Consulta Pública sobre Educação Infantil a partir dos desafios gerados pela pandemia de Covid-19.

Antes da quarentena ser instituída em todo o país, no dia 17 de fevereiro foi iniciada uma consulta digital aberta, com o intuito que a população participasse da elaboração do primeiro Plano Municipal para a Primeira Infância do Recife.

Pesquisa com dois recortes diferentes

A pesquisa atual possui dois recortes diferentes e a base de dados gerada a partir da mesma será utilizada na elaboração de políticas públicas direcionadas para a Primeira Infância e para a Educação.

O primeiro recorte diz respeito ao cruzar dados sobre a Educação Infantil e a Pandemia e é voltado à Educação Infantil e ao Ensino Fundamental I (1º ao 5º ano). Já o segundo recorte gira em torno de uma pesquisa direcionada aos Impactos do Isolamento Social no Desenvolvimento Infantil, o que engloba crianças entre zero e nove anos de idade.

Para quem quiser saber mais detalhes sobre esta consulta pública, na manhã desta terça-feira (30), às 10h40, o jornalista Jota Batista conversará com o secretário executivo da Primeira Infância do Recife, Rogério Morais. O bate-papo acontecerá no Espaço Aberto.

Fonte: Folha de Pernambuco

*Foto: Divulgação