Será decidida amanhã questão de aulas presenciais em PE

Governo tem até esta terça para decidir situação de aulas presenciais em PE, em função da pandemia

Amanhã (22) encerra o prazo do decreto estadual que suspende as aulas presenciais em Pernambuco. Portanto, o governo do estado precisa dar um posicionamento. Com os dados sobre o avanço gerado pela pandemia da Covid-19, serão novamente analisados hoje (21) o retorno ou não das aulas do ensino básico. Com isso, a comunidade escolar aguarda com expectativa o resultado.

Aulas presenciais em PE

Segundo a Secretaria de Educação e Esportes, um novo anúncio sobre o cronograma de retomada das atividades presenciais no ensino público de ocorrer até amanhã.

Além disso, uma coletiva de imprensa com a participação do secretário estadual de Educação, Fred Amâncio, foi convocada para esta segunda, às 16h30. No entanto, ainda não existe definição se as aulas seguem suspensas ou se uma data para o retorno já será anunciada.

Início da pandemia

As aulas do ensino público foram suspensas logo no início da pandemia, em 18 de março. Agora, as escolas públicas e privadas do Estado planejam a retomada das aulas presenciais em PE e se preparam para receber novamente seus alunos. Até o momento, somente a Escola Arquipélago, em Fernando de Noronha, teve o retorno autorizado pelo Governo do Estado. Nesta unidade de ensino, as atividades presenciais retornarão nesta terça-feira apenas para os alunos do ensino médio.

Protesto da rede privada

Todavia, foi realizado ontem (20), um protesto organizado por pais de estudantes de escolas privadas de Recife com a finalidade de reivindicar o retorno das aulas presenciais no estado. Chamado de Movimento de Volta às Aulas dos Pais de Alunos das Escolas de Pernambuco, o ato ocorreu no Segundo Jardim de Boa Viagem, Zona Sul do Recife. Sobre isso, uma das organizadoras, Ana Carolina Campolina, 37, afirmou:

“Isso é um grupo de pais orientados. Baseados em evidências cientificas, sabemos os malefícios da falta da escola para as crianças e da ausência de evidências que justifiquem eles em casa. Nenhuma das escolas que abriu houve aumento da incidência significativa em termos populacionais da doença. Já passou da hora, temos 186 dias sem aulas, todos os grandes países retornaram (às aulas presenciais).”

Protocolo de retorno

Sem revelar datas, no mês de julho, a Secretaria de Educação apresentou o protocolo sanitário que deveria ser seguido por todas as escolas do estado pernambucano em sua retomada.

As orientações devem ser atendidas em todos os níveis educacionais, que engloba: educação básica, creches, pré-escola, ensinos fundamental e médio, assim como educação superior (graduações e especializações), cursos livres (técnicos e de idiomas).

No caso das universidades, o retorno das aulas presenciais estava previsto para o dia 8 de setembro, de forma gradual.

O protocolo diz respeito a novos horários de funcionamentos dos locais de ensino, além do distanciamento social de 1,5 metro; rodízio de alunos e distanciamento físico de 1,5 m dentro das salas de aula.

Por fim, as medidas de higiene, como instalações para lavagem frequente das mãos, sanitários com sabão e toalha de papel e dispensers de álcool em gel 70% devem ser providenciados.

*Foto: Divulgação