Coco de roda: festival ocorrerá em formato online

Coco de roda reunirá shows de 18 grupos, além de rodas de conversas e sessões de cineclube, de 14 a 17 de abril, com acesso gratuito pelo YouTube

A 1ª edição do festival “Celebração: se tem coco, tem Cocada!” vai sacudir de Pernambuco neste mês. O evento musical vai reverenciar, difundir e preservar as manifestações do tradicional coco de roda. Isso inclui shows e participações de 18 grupos de coco da região e também de outros estados do Nordeste. Idealizado e promovido pelo grupo A Cocada, tem a comunidade do Amaro Branco como berço e celeiro do coco de roda de Olinda. O evento acontece entre os dias 14 e 17 de abril (quinta e sexta-feira a partir das 18h30h, sábado e domingo a partir das 16h30h). O acesso é gratuito pelo canal do grupo A Cocada no Youtube.

Coco de roda – o evento

A programação do evento de coco de roda contempla rodas de conversa sobre produção cultural e cultura popular. E também de sessões de cineclube com a exibição de uma série de curtas-metragens. O festival foi gravado no Teatro Fernando Santa Cruz, que fica dentro do Mercado Eufrásio Barbosa. Além disso, toda a transmissão terá acessibilidade por meio de legendas e intérprete de libras. O projeto tem incentivo da Lei Aldir Blanc, contemplado pelo edital Festivais, Mostras e Celebrações LAB PE 2021.

Curadoria

Já a curadoria do festival conta com Mãe Beth de Oxum, Ialorixá e Patrimônio Vivo do Estado de Pernambuco, ao lado de Wellington Felipe, coordenador e produtor do grupo A Cocada, e Felipe França, coordenador geral e produtor executivo do festival Celebração.

Programação

Na quinta-feira (14), o evento abre a partir das 18h30, com a primeira sessão de cineclube da Celebração, com a exibição do primeiro dos quatro episódios da série inédita de curtas intitulada “Do Zambê ao Pisado Alagoano”. A produção fala sobre o dia a dia, a resistência, as dificuldades e as glórias de alguns dos mestres que estão participando do festival Celebração, com direção e roteiro de Felipe França.  Na sequência, haverá uma roda de conversa com produtores culturais e fazedores de cultura sobre produção cultural, coco de roda e cultura popular.

Às 19h20, Arnaldo do Coco (Olinda-PE) dá início à programação musical, seguido do Coco das Mulheres (Recife-PE); às 20h, do Samba de Coco Xener de Jurema (Pesqueira-PE); às 20h40; e da Mestra Ana Lúcia (Olinda-PE), que fecha a noite às 21h20.

Segundo dia

Na sexta (15), também às 18h30, o evento começa com roda de conversa e na sequência dá continuidade às exibições da série de curtas “Do Zambê ao Pisado Alagoano”.

Os shows começam às 19h20, com o Coco Popular de Aliança (Aliança-PE). Em seguida, às 20h, será a vez dos mestres do coco pernambucano (Pontezinha-PE). Às 20h40, sobe ao palco Coco de Pneu (Olinda-PE). E encerra a segunda noite, às 21h20, o Coco de Umbigada (Olinda-PE), que promete arrastar o tamanco de todo mundo que vai estar em casa celebrando. 

Terceiro dia

No sábado (16/04), a partir das 16h30, começa mais uma sessão de cineclube. Em seguida, às 17h20, o Samba de Coco Toypé do Ororubá (Pesqueira-PE) abre as festividades. Às 18h, o grupo Coqueiro Alto (Campina Grande-PB) sobe ao palco, seguido do Coco de Seu Mané (Olinda-PE), às 18h40. Às 19h20, será a vez do grupo Bongar (Olinda-PE).

Vale lembrar que há um ano foi lançada a websérie “Coquistas de Olinda“, que conta a história de mulheres da região.

Último dia

Por fim, no domingo (17), último dia do festival, terá uma programação mais que especial. O quarto e último episódio da série de curtas “Do Zambê ao Pisado Alagoano” será exibido às 16h30. Às 17h20, quem abre a roda é o Coco de Seu Vira/Coco Pisado das Alagoas (Arapiraca-AL). Às 18h, é a vez do Coco Zambê de Gameleira/Grupo Herdeiros de Zumbi (Pipa e Sibaúma-RN). Às 18h40, Dona Glorinha (Olinda-PE), que promete sacudir a poeira. Encerrando o evento, o grupo anfitrião A Cocada (Olinda-PE) sobe ao palco às 19h20. 

*Foto: Divulgação