Olinda abriga XII Bienal Internacional do Livro de Pernambuco

Bienal Internacional do Livro começou nesta sexta-feira (4) e segue até o dia 13 de outubro, reunindo mais de 100 expositores, além de aproximadamente 120 horas de atividades, no Centro de Convenções

Começou nesta sexta-feira a XII Bienal Internacional do Livro de Pernambuco, no Centro de Convenções, em Olinda, no Grande Recife. O tema desta edição será “Histórias para Resistir”, que terá programação até o dia 13 de outubro, sempre das 10h às 22h. O evento deste ano contará com 110 expositores, de acordo com informações dos organizadores.

Bienal Internacional do Livro de Pernambuco

A Bienal Internacional do Livro de Pernambuco é considerada a maior feira literária do Nordeste, que conta com lançamentos, oficinas e palestras, divididas em 120 horas de atividades. A programação completa pode ser conferida aqui.

Dentre os homenageados desta edição, estão o escritor Sidney Rocha e o poeta Solano Trindade (in memoriam), que terá sua obra comentada pelo jornalista e sociólogo Muniz Sodré.

Bate-papo com autores e jornalistas

A autora Ana Maria Gonçalves, da obra “Um Defeito de Cor” (2006), integra um bate-papo com o coletivo Leia Mulheres.

A Bienal Internacional do Livro também receberá o jornalista Artur Xexéo, autor de “Hebe – A Biografia”, que narra a história da comunicadora Hebe Camargo, para um bate-papo sobre o tema “Jornalismo Cultural e a Cultura de Celebridades”.

Já o jornalista Luis Nassif vai falar da biografia que escreveu sobre o banqueiro “Walther Moreira Salles”. Enquanto que a cientista política Heloisa Murgel Starling foi convidada pela Bienal PE para comentar o enredo de seu livro “Ser republicano no Brasil colônia”, que fala sobre a origem da crise que os residentes do Brasil enfrentam acerca do sistema político.

Além deles, também foram convidados pela organização da feira literária o filósofo e pesquisador francês Grégoire Chamayou, autor da obra “A Teoria do Drone”; a ecritora portuguesa Isabela Figueiredo, que vai comentar sobre seu livro mais renomado, “Caderno de memórias coloniais”; e o diretor André Vianco, que tem 16 romances publicados, entre os quais “Os Sete”.

Outros participantes da Bienal

A programação da Bienal Internacional do Livro de Pernambuco ainda conta com a participação da escritora e youtuber Babi Dewet, responsável pelo enredo de “K-pop-Manual de sobrevivência”.

Já a poetisa Lubi Prates vai conduzir o minicurso “A poesia contemporânea de autoria negra”. Além disso, ela está concorrendo neste ano ao Prêmio Rio de Literatura.

Organização e apoios

A feira literária é organizada pela Cia. De Eventos, com produção geral de Rogério Robalinho, curadoria de Schneider Carpeggiani, e produção executiva da Vox Produções, Ideação.

A Bienal também conta com os apoios da Aliança Nacional Libertadora, Câmara Brasileira do Livro (CBL), Consulado da França, Instituto Inclusivo Sons do Silêncio, Ministério da Cidadania, Organização dos Estados Ibero-americanos (OEI), Sebrae e União Brasileira dos Escritores (UBE), além da Prefeitura do Recife e de outras empresas privadas.

Atividades – Bienal Internacional do Livro

As atividades da Bienal Internacional do Livro deste ano acontecerão em espaços distintos. Sendo assim, autores de quadrinhos e ilustradores poderão ser vistos na Artist Alley, local onde também poderão comercializar seus produtos.

O público infantil também terá espaço garantido com a Bienalzinha, que contará com oficinas, contação de histórias, lançamento de livros infantis, pintura e espetáculos voltados às crianças.

Para a realização das palestras, debates e cursos foram criados dois espaços. No palco “Além das Letras”, serão promovidas apresentações artístico-culturais, atividades bilíngues, concurso soletrando, recitais poéticos, além de apresentações escolares, de K-Pop e de Cosplays.

Homenagens

Um pouco mais da carreira de Solano Trindade será abordada. O autor foi um dos pioneiros no movimento de literatura afro-brasileira e responsável por fundar por todo o Brasil vários grupos de valorização da cultura negra e combate ao racismo.

Dentre as atividades que ressaltam o protagonismo negro, na literatura, na música e na poesia, estão: a palestra “Escritoras negras: o poema quebrando com os silenciamentos”; o minicurso “A poesia contemporânea de autoria negra”, com a poetisa Lubi Prates; e o bate-papo com Preto Zezé, presidente da Central Única das Favelas (Cufa).

Além disso, também haverá a oficina “Mulheres Negras, empreendedorismo e liderança”, com Beca Nascimento; e os lançamentos dos títulos “Ominíbú: Maternidade Negra em um Defeito de Cor”, de Fabiana Carneiro; e “POP UP Maracatu”, de Erick Vasconcelos.

Para falar da obra de Sidney Rocha, considerado grande defensor do livro e da literatura no Brasil, foram convidados o editor Samuel Leon, a escritora Maria Valéria Rezende, os autores José Castello, João Cezar de Castro Rocha, Xico Sá e Gonçalo M. Tavares, de Portugal, além do jornalista Manuel da Costa Pinto.

Ingressos – Bienal Internacional do Livro

As entradas custam a partir de R$ 5 (meia-entrada), R$ 7 (para quem entregar 1 kg de alimento não perecível ou doar um livro usado, exceto os didáticos) e R$ 10 (inteira).

Crianças até 12 anos, que estudem na rede pública de ensino médio e fundamental, com uso do uniforme escolar ou apenas da camiseta e que integrem excursão escolar em visitação agendada, não pagarão ingresso. A mesma gratuidade também será concedida a professores, escritores associados da UBE, Policial Civil e Militar e Corpo de Bombeiros, portando carteira de identificação.

Fonte: site G1

*Foto: Divulgação