Roda Viva vence APCA como melhor programa de jornalismo da TV

Além do programa Roda Viva, da TV Cultura, outros premiados, escolhidos pela APCA, levaram estatuetas em dez categorias

Na última segunda-feira (9) foram anunciados os vencedores da tradicional premiação da Associação Paulista de Críticos de Artes (APCA). Na categoria melhor programa de jornalismo da televisão brasileira o grande vencedor foi o Roda Viva, da TV Cultura.

O programa que foi criado em 1986, estava desde agosto deste ano sob o comando da jornalista Daniela Lima, então editora da coluna Painel, do jornal Folha de S. Paulo. Recentemente, ela informou que vai deixar a bancada da atração para fazer parte da equipe do canal CNN no Brasil. Em seu lugar, entrará Vera Magalhães, que também já foi editora da coluna Painel.

APCA – cinema e arte

Na categoria cinema, a APCA premiou o melhor longa-metragem foi para “Bacurau”, dos diretores Kleber Mendonça Filho e Juliano Dornelles. No mundo das artes, a estatueta contemplou a exposção recordista de público “Tarsila Popular”, no Masp. Já o melhor show foi para o rapper Emicida, ocorrido no Theatro Municipal de São Paulo.  

Fernanda Montenegro

Neste ano, a associação concedeu à atriz Fernanda Montenegro o Prêmio Especial da APCA, por seu “protagonismo na defesa da liberdade de expressão”, de acordo com a entidade.

A atriz que enfrentou um difícil e completou 90 anos de idade, foi alvo de ataques do antigo diretor teatral da Funarte e atual Secretário Especial de Cultura, Roberto Alvim, nas redes sociais. Além disso, ela também lançou uma autobiografia, protagonizou quatro filmes, entre os quais: “A Vida Invisível”, representante do Brasil no Oscar.

Categorias e cerimônia

Os prêmios da APCA são distribuídos em dez categorias artísticas: arquitetura, artes visuais, cinema, dança, literatura, música popular, rádio, teatro, teatro infantojuvenil e televisão. Esta última categoria ainda é dividida em outros sete subgrupos.

Em 2020, a cerimônia de entrega das láureas chega à sua 63ª edição e será realizada no dia 17 de fevereiro, no Teatro Sérgio Cardoso, em São Paulo.

Veja, abaixo, os escolhidos do prêmio APCA:

Arquitetura

Melhor obra de arquitetura: Hospital de Urgências de São Bernardo do Campo, SPBR Arquitetos (Angelo Bucci)
Resistência ambiental: Centro Experimental Floresta Ativa (Cristina Xavier)
Valorização da arquitetura no debate público: Gestão IAB-SP 2017-2019
Valorização do Patrimônio Arquitetônico: Jornada do Patrimônio (Departamento do Patrimônio Histórico (DPH) da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo)
Trajetória dedicada à Universidade Pública e à pesquisa acadêmica: Nestor Goulart Reis Filho
Urbanidade: Estação São Paulo-Morumbi (23 Sul Arquitetura)
Apropriação urbana: Redes da Maré

Artes Visuais

Grande Prêmio da Crítica: ‘Tarsila Popular’ (Masp)
Exposição Internacional: ‘Man Ray em Paris’ (CCBB)
Exposição Nacional: ‘Leonilson por Antonio Dias’ (Pinakotheke)
Fotografia: ‘Marc Ferrez’ (Instituto Moreira Salles)
Retrospectiva: ‘Franz Weissmann’ (Itaú Cultural)
Arte e reflexão: Galeria Transarte
Destaque: Luisa Strina (‘Recorte da Contemporaneidade’)

Cinema

Filme: ‘Bacurau’
Diretor: Juliano Dornelles e Kleber Mendonça Filho (‘Bacurau’)
Roteiro: Ives Rosenfeld e Pedro Freire (‘Aspirantes’)
Ator: Christian Malheiros (‘Sócrates’)
Atriz: Carol Duarte e Júlia Stockler (‘A Vida Invisível’)
Documentário: ‘Democracia em Vertigem’ (Petra Costa)
Prêmio especial do júri: ‘A Rosa Azul de Novallis’ (Gustavo Vinagre e Rodrigo Carneiro)

Dança

Espetáculo/Estreia: ‘ELO’ (T. F. Style Cia. de Dança)
Espetáculo/Não Estreia: ‘Plano Sequência/Take 2’, da Jorge Garcia Companhia de Dança
Coreografia/Criação: Cassi Abranches, pela coreografia de ‘Agora’, da São Paulo Companhia de Dança
Interpretação: Elenco da Lia Rodrigues Companhia de Danças, por ‘Fúria’
Prêmio técnico: Mirella Brandi e Solano, pelo design de luz de ‘Foreign Body’, de Clébio Oliveira
Projeto/Programa/Difusão/Memória: Programação de dança da Oficina Cultural Oswald de Andrade
Grande prêmio da crítica: Sesc São Paulo, pela programação contínua de dança em suas unidades da capital, interior e litoral

Literatura

Romance: ‘Crocodilo’, de Javier Arancibia Contreras (Companhia das Letras)
Ensaio/Teoria e/ou Crítica Literária/Reportagem: ‘O Crime da Galeria de Cristal’, de Boris Fausto (Companhia das Letras)
Infantil/Juvenil: ‘Enfim, Capivaras’, de Luisa Geisler (Companhia das Letras)
Poesia: ‘Melancolia’, de Carlos Cardoso (Record)
Contos/Crônicas: ‘Redemoinho em Dia Quente’, de Jarid Arraes (Alfaguara)
Tradução: Eric Nepomuceno, pela tradução de ‘O Jogo da Amarelinha’, de Julio Cortázar (Companhia das Letras)
Biografia/Autobiografia/Memória: ‘Em Busca da Alma Brasileira – Uma Biografia de Mário de Andrade’, de Jason Tércio (Sextante)

Música popular

Grande prêmio da crítica: Beth Carvalho
Artista do ano: Djonga
Melhor álbum: ‘Abaixo de Zero: Hello Hell’, Black Alien
Melhor show: Emicida no Theatro Municipal
Revelação: Ana Frango Elétrico
Projeto especial: Itamar 70
Música Clipe do Ano: ‘Amor de Que’, Pabllo Vittar
Homenagem (In Memoriam): Walter Franco

Rádio

Programa jornalístico: ‘Radar Noticioso’, Rede Metropolitana (Vale do Paraíba)
Apresentador (jornalismo): Roberto Nonato (CBN)
Produtor/apresentador (musical – popular): Jones Mendes e Tonho Prado, “Coração Sertanejo” (Nativa FM)
Produtor/apresentador (musical – pop/rock): André Góis, “Hora da Vitrola” (Eldorado FM)
Produtor/apresentador (entretenimento): Domenico Gato, Silvio Ribeiro, Marcos Aguena e Bernardo Veloso, “Morde Assopra” (Energia 97)
Webrádio
: Web Vintage Radio
Podcast: ‘Meio Rádio’

Teatro

Grande prêmio da crítica: Danilo Santos de Miranda por criar um polo de resistência no Sesc São Paulo para o teatro nacional
Espetáculo: ‘Tom na Fazenda’
Direção: Jé de Oliveira (‘Gota D’ Água {Preta}’)
Dramaturgia: Newton Moreno  (‘As Cangaceiras’)
Ator: Iuri Saraiva (‘Jardim de Inverno’)
Atriz: Debora Duboc  (‘A Valsa Lili’)
Prêmio especial: Espetáculo ‘Terror e Miséria no Terceiro Milênio – Improvisando Utopias’, pelo posicionamento político frente à realidade do País e Judite Gerônimo de Lima, pela longa e importante trajetória como costureira de teatro.

Teatro Infanto-juvenil

Espetáculo infantil: ‘Vamos Comprar um Poeta’ (Duda Maia)
Espetáculo para jovens: ‘Nomo’ (Pedro Garrafa)
Espetáculo encenado em espaço aberto: ‘Elagalinha’ (Cia. Bendita)
Espetáculo de valorização de um clássico e com texto adaptado: ‘Dom Quixote’ (Cia Um de Teatro)
Espetáculo da modalidade reconto: ‘A Travessia de Maria e Seu Irmão João’ (Cia. Arthur Arnaldo)
Espetáculo com a temática de identidade de gênero: ‘Existo!’ (Cia. La Leche)
Revelação do ano: Thaís Medeiros, pela direção de ‘O Dia em que Minha Vida Mudou por Causa de um Chocolate Comprado nas Ilhas Maldivas’

Televisão

Novela: ‘Bom Sucesso’ (Paulo Halm e Rosana Svartman, da Globo)
Atriz: ‘Déborah Bloch’ (‘Segunda Chamada’, da O2/Globo)
Ator: Flávio Migliaccio (‘Órfãos da Terra’, da Globo)
Direção: Andrucha Waddington (‘Sob Pressão 3’, Conspiração/Globo)
Série/Minissérie: ‘Segunda Chamada’ (O2/Globo)
Programa: ‘Que História é Essa, Porchat?’ (‘Porta dos Fundos’, da GNT)
Jornalismo: Roda Viva (TV Cultura)

Fonte: Folha de S. Paulo

*Foto: Divulgação