Começa amanhã greve dos professores da rede pública de Pernambuco

Greve dos professores não afetará aulas remotas, somente as atividades presenciais

A partir desta terça-feira (6), os professores da rede estadual de Pernambuco vão entrar em greve. A decisão foi tomada hoje (5), em assembleia realizada de modo remoto por meio de plataforma online.

Greve dos professores da rede pública

A greve dos professores da rede pública do estado vai reunir mais de 1.700 professores, além de membros de departamentos administrativos e analistas da secretaria de Educação e Esportes. Estes últimos são representados pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco (Sintepe). Eles participaram da tomada de decisão, em decorrência de não concordar em retomar as atividades presenciais nas unidades de ensino a partir de amanhã. A data foi estipulada pelo Governo do Estado para a volta das turmas do último ano.

Todavia, a greve foi decretada no último dia 30, com notificação ao Governo do Estado. Agora a paralisação ocorrerá de fato.

Vale lembrar que a assembleia estava marcada para o dia 22 de setembro para decidir sobre a questão das aulas presenciais em Pernambuco, principalmente no Recife.

Greve em Defesa da Vida

A paralisação chamada de Greve em Defesa da Vida vai começar à 0h desta terça e acontecerá por tempo indeterminado. Além disso, amanhã o Sintepe também participa de audiência com o Ministério Público do Trabalho sobre a greve dos professores no estado pernambucano. Na quarta-feira (7), as negociações com o Governo do Estado continuarão a fim de encontrar a melhor solução para este impasse.

Como foi a votação

Na ocasião da reunião que decidiu pela greve, a categoria aprovou com 82% dos votos. O intuito da paralisação compreende quaisquer atividades presenciais. No entanto, ela não vale para as atividades remotas, que estejam acontecendo neste momento ou que ainda vão acontecer. Todavia, outros 15% votaram por uma “greve total” e 3% se abstiveram.

De acordo com o presidente da CNTE (Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação) e diretor do Sintepe, Heleno Araújo:

“Tendo imposição de governos em retomar as atividades presenciais sem a plena garantia da segurança sanitária, é greve pela vida! Greve pela vida significa não retornar às atividades presenciais. Já as atividades remotas continuam.”

*Foto: Divulgação